O rover Perseverance, da Nasa, finalmente começou seu próprio projeto científico após pousar em Marte em fevereiro de 2021. O veículo de exploração vai explorar a cratera “Jezero” em busca de sinais de vida antiga no planeta vermelho – essa é a sua real missão desde o seu lançamento.

Antes disso, o Perseverance estava transitando o planeta vermelho mais como um “acompanhante” do mini helicóptero Ingenuity, que chegou com ele a Marte. Ao mesmo tempo, o rover rodava diagnósticos de equipamento para garantir que todos os sistemas estivessem rodando com plenas capacidades.

publicidade

Leia também

Imagem mostra renderização 3D do rover Perseverance em Marte, transitando pelo solo do planeta vermelho
O explorador Perseverance finalmente está pronto para começar a sua real missão em Marte: a busca por sinais de vida antiga no planeta vermelho. Imagem: Evgeniyqw/Shutterstock

“Nós estamos colocando as fases de comissionamento e aterrissagem do rover em nosso espelho retrovisor e seguindo pelo caminho adiante”, disse Jennifer Trosper, a nova gerente do projeto Perseverance no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa, no sul da Califórnia. “Ao longo dos próximos meses, o Perseverance vai explorar uma área de quatro quilômetros de solo da cratera. É de lá que as primeiras amostras de outro planeta serão coletadas para serem enviadas à Terra em uma missão futura”.

Dois objetivos – ou “unidades”, como a Nasa os chama – serão perseguidos pelo Perseverance em sua exploração do planeta vermelho: o “fundo fraturado da cratera” constitui a área que preserva leitos rochosos antigos, enquanto o “Séítah” (“em meio às areias”, no idioma nativo dos Navajos) vai analisar dunas arenosas e cumes montanhosos.

“Para fazermos a devida justiça a ambas as unidades dentro do tempo disponível, nossa equipe idealizou o que pode ser uma versão marciana de um mapa de clube de carros antigos”, disseram o astrobiologista Kevin Hand e a cientista do JPL, Vivian Sun. “Em outras palavras, nós temos a nossa rota planejada, incluindo nela desvios opcionais e áreas de interesse ou potenciais obstáculos em nosso caminho”.

Se tudo der certo, o Perseverance vai coletar e armazenar uma ou duas amostras de quatro pontos específicos dentro das duas unidades – todas cuidadosamente selecionadas pela Nasa como possíveis pontos de concentração de materiais antigos. Isso, em tese, deve ajudar a agência espacial a estabelecer uma linha do tempo da cratera Jezero, desde sua criação até os dias atuais – incluindo, possivelmente, sinais de vida antiga.

Oficialmente, a missão Perseverance tem duração prevista de um ano marciano – 687 dias, aproximadamente. Entretanto, ela pode acabar se “esticando”: o rover Curiosity, que serviu de base para o Perseverance, segue explorando outra cratera (Gale) até hoje, nove anos depois de seu pouso no planeta vermelho.

Tudo vai depender do progresso do atual explorador.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!