Nem só de SpaceX e Blue Origin vive o mercado privado de exploração espacial: a californiana Rocket Lab foi escolhida pela Nasa como a contratada para a criação de duas espaçonaves para a missão ESCAPADE, que deve estudar a atmosfera de Marte em 2024.

A missão ESCAPADE (sigla em inglês para “Exploradores Dinâmicos de Escapada e Aceleração de Plasma”) é uma das três propostas finalistas do programa “Pequenas Missões Inovadoras para Exploração Planetária”, de 2019. A sua premissa envolve posicionar duas naves na órbita de Marte, a fim de descobrir como a atmosfera do planeta vermelho é desgastada por ventos solares.

publicidade

Com sorte, a missão, se for confirmada, nos ajudará a entender a evolução de Marte, já que indícios mostram que, há bilhões de anos, o planeta era bem diferente do cenário desértico e desolado que vemos hoje.

Leia também

Imagem mostra um cenário de deserto em Marte, detalhando como o planeta vermelho era bem diferente em milhões de anos atrás
A paisagem desértica de Marte é resultado de anos de desgaste de sua atmosfera, e indícios mostram que o ambiente do planeta vermelho já foi bem diferente. Imagem: Dotted Yeti/Shutterstock

“Essa é uma missão incrivelmente promissora que entregará enormes quantidades de ciência em pacotes pequenos”, disse o fundador e CEO da Rocket Lab, Peter Beck, por meio de um comunicado.

“Missões científicas planetárias tradicionalmente custam centenas de milhões de dólares e levam até uma década para serem executadas”, continuou o CEO. “A nossa nave Photon, para a missão ESCAPADE, vai demonstrar uma abordagem com melhor custo-benefício para a exploração planetária, que ampliará o acesso da comunidade científica para o nosso sistema solar”.

Se a ESCAPADE for selecionada, é provável que ela ainda envolva mais uma empresa privada: a nave Photon provavelmente “pegaria uma carona” em alguma outra espaçonave maior, embora a Nasa não tenha informado qual será – ou mesmo se já escolheu – essa empresa.

Originalmente, a ESCAPADE tinha lançamento programado para 2022, junto da missão de exploração do asteroide 16-Psyche, subindo a bordo de um foguete Falcon 9, da SpaceX. Entretanto, a missão Psyche mudou seus parâmetros, alterando o lançador para um foguete Falcon Super Heavy e mudando a sua trajetória de forma a inviabilizar uma parada em Marte.

Pelo sim ou pelo não, vamos saber a resposta logo: a Nasa programou uma análise preliminar de desempenho ainda para este mês de junho, ao passo que, em julho, deve vir a “avaliação de confirmação”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!