A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação da vacina Sputnik V por sete estados do Brasil na última terça-feira (15). A liberação, no entanto, conta com condições específicas e foi concedida por meio do Circuito Deliberativo nº 539/202.

Com a determinação, os estados do Rio Grande do Norte, de Mato Grosso, Rondônia, do Pará, Amapá, da Paraíba e de Goiás vão poder trazer lotes do imunizante russo para o Brasil. As regras preveem que a vacina só poderá ser usada para a imunização de pessoas adultas e saudáveis e, para a aplicação, será necessária a liberação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

publicidade

Anvisa e a Sputnik V

Outra regra imposta pela Anvisa é que a Sputnik V deverá ter seu uso controlado, em paralelo com estudos de eficácia do produto. A agência ainda deve receber relatórios com avaliação do benefício-risco do imunizante e, caso seja necessário, a importação poderá ser suspensa a qualquer momento.

Leia mais:

A Anvisa também estabeleceu quantidades que cada estado deve importar, ficando definido da seguinte forma: Rio Grande do Norte – 71 mil doses; Mato Grosso – 71 mil doses; Rondônia – 36 mil doses; Pará – 174 mil doses; Amapá – 17 mil doses; Paraíba – 81 mil doses; e Goiás – 142 mil doses.

As condições são as mesmas impostas no começo do mês, quando a permissão foi concedida para Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí. No total, esses estados conseguiram autorização da Anvisa para a importação de 928 mil doses da Sputnik V.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!