Cientistas da Escola de Medicina Feinberg, da Universidade de Northwestern (EUA), já estão se preparando para uma possível próxima pandemia de coronavírus. Eles identificaram um novo alvo para o desenvolvimento de medicamento contra o SARS-CoV-2, vírus responsável pela Covid-19. As informações são do Medical Xpress.

“Deus nos livre de precisarmos disso, mas estaremos prontos”, disse Karla Satchell, professora de microbiologia e imunologia da Feinberg e líder da equipe internacional de cientistas que analisa as estruturas importantes do vírus.

publicidade
Variante coronavírus
Variante coronavírus. Imagem: Shutterstock

O alvo em questão é a proteína viral chamada nsp16, que está presente em todos os coronavírus. “Há uma grande necessidade de novas abordagens para a descoberta de medicamentos para combater a pandemia da SARS-CoV-2, ou Covid-19, e infecções por coronavírus futuros”, disse Satchell.

“A ideia é que este futuro medicamento funcione no início da infecção”, disse Satchell. “Se alguém ao seu redor pegasse o coronavírus, você correria para a farmácia para pegar seu remédio e tomaria por três ou quatro dias. Se você estivesse doente, não ficaria tão doente”, completou.

A equipe mapeou e “resolveu” três novas estruturas de proteínas em visualizações tridimensionais e descobriu um identificador secreto na máquina que ajuda o vírus a se esconder do sistema imunológico.

Eles descobriram uma bolsa específica do coronavírus na proteína nsp16 que se liga ao fragmento genômico do vírus mantido no lugar por um íon metálico. O fragmento é usado pelo coronavírus como molde para todos os blocos de construção virais.

De acordo com Satchell, essa é a razão pelo qual há potencial para fazer um medicamento que se encaixe nessa bolsa única que bloquearia a função dessa proteína do coronavírus.

Leia mais:

A nsp16 é considerada uma das principais proteínas virais que poderia ser inibida por drogas para interromper o vírus logo após a exposição. O objetivo dos cientistas é que o medicamento interrompa o vírus precocemente, evitando que pessoas fiquem em estado grave.

Satchell prevê que qualquer medicamento desenvolvido a partir da descoberta de sua equipe faria parte de um coquetel de tratamento administrado por pacientes no início da doença. Isso poderia incluir medicamentos semelhantes ao Remdesivir, um medicamento que impede o vírus de produzir o modelo para os blocos de construção necessários para que ele se replique.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!