As cefaleias em salvas são um problema crônico que leva pacientes a terem fortes dores de cabeça durante longos períodos, podendo durar dias, semanas ou até meses. Muitas pessoas que apresentam este quadro não conseguem passar pelo tratamento apenas com uso de medicação devido tamanha intensidade da dor.

Pensando em ajudar os pacientes que se enquadram nestes padrões, pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Leiden, na Holanda, apontaram que a estimulação nervosa pode reduzir a frequência e gravidade das crises.

publicidade
Representação gráfica de uma crise de cefaleia
Estimulação nervosa podem ser a chave para o tratamento de cefaleias em salvas.
Imagem: peterschreiber.media/Shutterstock

Segundo o estudo, é necessário estimular o nervo occipital, que fica localizado próximo à superfície da pele na parte de trás da cabeça. O nervo possui ligação direta com o tronco encefálico, o que explica o motivo da estimulação ser benéfica no tratamento de cefaleias em salvas.

A pesquisa foi feita com 130 pacientes em diversos locais do mundo. Todos tiveram um neuroestimulador implantado próximo ao nervo occipital, que era conectado a uma pequena bateria inserida sob a pele da nádega.

Os pacientes testados recebiam estimulação elétrica alta ou baixa no nervo aleatoriamente durante seis meses e todos os 130 testados relataram uma diminuição drástica dos sintomas e frequência das crises. Um dos autores do estudo apontou que alguns pacientes relataram o desaparecimento total das cefaleias em salvas.

Leia também!

O estudo foi financiado pelo Ministério da Saúde, Bem-Estar e Esportes da Holanda e, depois da conclusão positiva, passou a ser adotado como uma espécie de tratamento para os pacientes que forem diagnosticados com cefaleias em salvas crônicas.

Via: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!