Bitcoin despenca mais de 17% com repressão da China às criptomoedas

Bitcoin despenca mais de 17% com repressão da China à mineração de criptomoedas

Bitcoin despenca mais de 17% com repressão da China à mineração de criptomoedas. Créditos: shutterstock

O bitcoin despencou mais de 17% nesta segunda-feira (21), em comparação com o índice registrado há uma semana. A queda teria acontecido depois que a China ampliou a repressão à mineração de criptomoedas, proibindo esta atividade em uma província do sudoeste do país.

As instalações de mineração de bitcoin da província de Sichuan receberam uma ordem na última sexta-feira (18) para interromper os negócios no domingo. Na semana passada, autoridades da província ordenaram a todas as empresas de eletricidade da região que parassem de fornecer eletricidade a qualquer organização de mineração de criptomoedas. Cerca de 26 minas foram fechadas.

Com a proibição, estima-se que mais de 90% da capacidade de mineração de bitcoin da China será encerrada, de acordo com um relatório do jornal estatal Global Times.

A repressão da China à mineração de bitcoins tem feito o valor da moeda despencar.
Crédito: phanurak rubpol/Shutterstock

A mineração na China alimenta quase 80% do comércio mundial de criptomoedas, apesar da proibição desde 2017 de fazer comércio com elas no país e do encerramento desta atividade em várias províncias. A mineração aconteceu, principalmente, em quatro principais províncias chinesas Xinjian, Mongólia Interior, Sichuan e Yunnan.

Rumo ao Texas

O preço do bitcoin caiu para US$ 32.309, depois de ter batido um recorde próximo de US$ 65 mil em abril passado. Essa desvalorização aconteceu, em parte, devido às medidas repressivas de Pequim.

Leia mais:

Em maio, o governo pediu uma proibição à mineração e ao comércio de bitcoins e, desde então, tem controlado todas as minerações e transações. Com isso, grande parte dos mineradores estariam de malas prontas para o Texas, nos Estados Unidos, segundo informações da CNBC.

Além disso, os líderes políticos da região têm apoiado as criptomoedas, o que o torna um bom destino para os mineradores.

O estado norte-americano tem os preços mais baixos de consumo de energia, fator essencial para a mineração. Além disso, o Texas tem um setor de energias renováveis que está crescendo ao longo do tempo.

Brandon Arvanaghi, ex-engenheiro de segurança da exchange Gemini, explicou por que o Texas poderia ser o destino de escolha:

“O Texas não só tem a eletricidade mais barata dos Estados Unidos, mas também uma das mais baratas do mundo”, disse ele. “Também é muito fácil abrir uma empresa de mineração, se você tem US$ 30 milhões, US$ 40 milhões, você pode ser um mineiro de primeira linha nos Estados Unidos”, acrescentou Arvanaghi.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Precisando de programador freelancer? Conheça o Codefreela