O barco robô MAS 400 Mayflower, o primeiro projetado para cruzar o Oceano Atlântico de forma 100% autônoma, fracassou no último domingo (20) durante sua primeira tentativa de travessia. Equipado com inteligência artificial (IA) e monitorado à distância, a embarcação teve “alguns problemas” e precisará voltar à sua base, o porto de Plymouth, na Inglaterra.

O barco, que foi resgatado do meio do oceano, partiu há uma semana e a previsão era de que a viagem durasse ao menos três semanas. Projetado pela ProMare, ele faz parte de um projeto que comemora os 400 anos da viagem dos primeiros colonos ingleses para os EUA a bordo do navio Mayflower, em 1620.

publicidade

Além da celebração, a embarcação também tinha a missão de fazer uma série de experimentos, coletando dados sobre a vida marinha e amostras de resíduos plásticos.

Barco robô que navega sozinho fracassa em primeira tentativa de travessia no Atlântico. Imagem: IBM

“É um pouco desapontador, mas retomaremos a travessia assim que identificarmos onde ocorreu o problema no barco e saná-lo”, disse o codiretor do projeto, Brett Phaneuf, ressaltando que a embarcação futurística “voltará a navegar o mais breve possível.”

O contratempo com o barco, causado por uma drástica redução de velocidade, impressiona quem conhece a fundo a história do Mayflower original. Com 102 pessoas e 30 tripulantes a bordo, o navio de 1620 encalhou duas vezes antes de chegar à costa dos Estados Unidos, precisando, também, retornar a Plymouth para reparos.

Antes do atual problema técnico, a partida do MAS400 foi adiada devido á pandemia da Covid-19, mesmo não tendo tripulantes. A esperança é que, se o descendente high-tech do Mayflower estiver seguindo os passos de seu antepassado, a terceira tentativa de travessia deve ter sucesso. Afinal, os dois primeiros contratempos foram superados.

Barco robô que navega sozinho fracassa em primeira tentativa de travessia no Atlântico. Imagem: IBM

Leia mais:

O barco MAS 400 Mayflower é a própria materialização da tecnologia. Do tipo trimarã, com três cascos, ele possui 15 metros de comprimento e toma decisões sozinho, com base nas análises feitas por sua inteligência artificial (IA).

Ao zarpar, na semana passada, muitos especialistas de todo o mundo vinham acompanhado seu trajeto, já que o projeto indica o futuro da navegação marítima. Para saber mais sobre o MAS 400 Mayflower, clique aqui.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!