Um grupo internacional de pesquisadores, que tem o plano de mapear todo o fundo do oceano até o ano de 2030, anunciou que já conseguiu alcançar 20,6% da meta proposta.

O projeto batizado de “Seabed 2030” vem sendo tocado com a ajuda de técnicas modernas de radares e sonares, dados coletados de navios científicos, corporações e proprietários de barcos privados de diferentes locais ao redor do mundo.

publicidade

De acordo com o diretor do projeto, em 2020 foram mapeados 1,6% da extensão oceânica. Parece pouco, mas a área corresponde a cerca de metade do tamanho dos Estados Unidos. Além disso, a cobertura atual inclui algumas áreas bastante difíceis de se atingir, como os pontos mais profundos do planeta, como a fossa das Marianas.

Usando instrumentos batimétricos para mapear esses locais, a equipe liderada pelo bilionário Victor Vescovo conseguiu mapear uma área equivalente ao tamanho da França em 10 meses.

Mapear todo o oceano tem grande importância, já que traz uma compreensão bastante abrangente do fundo do mar, importante para atividades científicas, descobrimento de novas espécies e exploração comercial.

Um exemplo disso é a elaboração de mapas melhores, que podem ajudar os navios a navegar com maior eficiência, além do lançamento de novos cabos submarinos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!