Um comunicado da agência espacial russa Roscosmos alerta para uma possível colisão entre a nave de carga Progress MS-17, com um satélite desativado da Starlink e destroços do foguete Falcon 9.

A nota informa que o acidente pode acontecer amanhã, dia 1º de julho de 2021. Dados preliminares revelaram que às 18h32 (horário de Brasília) o satélite Starlink 1691 estará a apenas 1,5 Km da espaçonave. Três minutos depois ele passará a 500 metros de um pedaço de um foguete Falcon 9 lançado em 2020.

publicidade

A nave está indo em direção à Estação Espacial Internacional e foi lançada no dia 29 de junho. Por isso, cientistas da Roscosmos estão em alerta e fazendo um monitoramento em tempo real da situação. 

Tensão no espaço

Questionada pelo site Space.com, a assessoria de imprensa da Roscosmos apenas informou que as equipes estão monitorando a situação.

“O Starlink 1691 foi lançado em setembro de 2020 e retirado de órbita operacional a 550 Km em abril”, informou o astrofísico Jonathan McDowell, em entrevista ao Space.com. Segundo ele, a situação não é incomum, pois o satélite está aparentemente a caminho da atmosfera da Terra. 

“Eles levam vários meses para baixar a órbita de 550 km para a reentrada”, disse McDowell. “Os destroços do veículo de lançamento Falcon 9, eu suspeito, são uma das quatro barras de tensão Starlink lançadas da missão V1.0-L9 em agosto de 2020.

Esse lançamento usou uma órbita de estacionamento mais alta do que o normal, então as barras não voltaram a entrar rapidamente, como fazem na maioria dos lançamentos do Starlink”, explicou o especialista.

Lançamento bem-sucedido

Apesar do risco de colisão, o lançamento da Progress MS-17 foi um sucesso. Ele aconteceu com um veículo lançador Soyuz saindo do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.  

Lançamento do Progress MS-17 no dia 29 de junho, com previsão de chegada à Estação Espacial no dia 2 de julho. Imagem: Divulgação Roscosmos

Dentro da nave de carga há 470 Kg de combustível que será levado à Estação Espacial, 420 litros de água potável nos tanques do sistema Rodnik, 40 Kg de ar e oxigênio, 1.509 Kg de equipamentos e materiais, que incluem hardware e meio de manutenção para sistemas de bordo. 

Leia mais:

Além disso, há kits para experimentos espaciais, controle médico, suprimentos sanitários e higiênicos, sem falar em itens de vestuário, rações alimentares e produtos frescos voltados para tripulação da 65ª expedição à ISS.   

Problema sério e preocupante  

O grande número de satélites, detritos e foguetes despedaçados no espaço se multiplica a cada dia e tem preocupado a comunidade espacial internacional há alguns anos. 

De acordo com a NASA, a Estação Espacial Internacional faz manobras para evitar colisões anualmente, mas há acidentes que são inevitáveis, como o ‘buraco de bala’ revelado pelo ex-astronauta canadense Chris Hadfield em um tuíte de 2013.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!