Se o seu sonho sempre foi abrir o próprio negócio, talvez esse seja um ótimo momento. Muito em função da pandemia de coronavírus, o Brasil encerrou 2020 com o maior número de empreendedores de sua história: foram registrados cerca de 11.316.853 MEIs no Portal do Empreendedor, o que pode indicar um cenário positivo para o setor — especialmente para o empreendedorismo digital.

Isso porque o distanciamento social oriundo da Covid-19 acelerou a transformação digital dos grandes e pequenos negócios. Com isso, as empresas passaram a focar suas operações de vendas e relacionamento com o cliente pelos canais online, uma das únicas formas de conciliar a manutenção de seus negócios sem colocar em risco a saúde de seus funcionários.

publicidade

A tendência do empreendedorismo digital é refletida em números: segundo levantamento da Big Data Corp., divulgado em agosto do ano passado, o comércio online cresceu 40,7% de 2019 a 2020, chegando a 1,3 milhão de lojas virtuais. A alta é relativamente maior do que o crescimento de 37,6% reportado de 2018 até o ano consecutivo.

Somado a isso, a curva ascendente de acessos à internet pelos brasileiros também tem estimulado a abertura de novos negócios online, bem como a migração de serviços que, até então só existiam em pontos físicos, para os canais digitais.

Mas muito mais do que uma boa ideia e um projeto promissor, são necessárias diversas ferramentas para empreender na era do digital. Sem contar o planejamento estratégico e orçamentário, questões como ter o seu próprio site, contratação de hospedagem e domínio, otimizações de SEO, entre outros, são imprescindíveis para que o negócio seja bem sucedido. Especialmente para os novos empreendedores.

Por conta disso, listamos algumas ferramentas e cuidados para quem deseja ingressar — ou migrar — para o empreendedorismo digital. Confira!

Dicas para ingressar no empreendedorismo digital

  • Tenha o seu próprio site
Site próprio para iniciar no empreendedorismo digital
Ter a sua própria página de web dará maior credibilidade à sua empresa. Foto: Mila Supinskaya Glashchenko/Shutterstock

Por mais que as redes sociais estejam em alta, a criação de um site próprio não só ajuda na meta de ganhar mais visibilidade no meio online, como também passa mais credibilidade à empresa.

Basta se colocar no lugar de um consumidor: é muito mais seguro (e confiável) contratar um serviço de uma empresa que tenha uma página própria na web do que uma companhia presente apenas no Facebook, não é mesmo?

De acordo com um levantamento do Sebrae, 40% das empresas têm perfis em redes sociais e 70% usam WhatsApp, mas somente 27% possuem site (e domínio) próprio.

“As redes sociais são muito importantes para um negócio, mas nelas você está mostrando uma foto do dia, ou divulgando uma oferta do momento, não está contando a sua história”, explicou o country manager da GoDaddy no Brasil, Beto Santos.

Pensando em questões de escalabilidade, uma página de web também facilitará o suporte ao cliente, a possibilidade de fazer parcerias publicitárias, uma melhor disposição de seus produtos, além de permitir ser localizado mais facilmente nas pesquisas do Google.

  • Redes sociais podem ajudar
Redes sociais podem ajudar no marketing de empreendedorismo digital
Perfis em redes sociais podem aumentar o alcance de sua empresa. Foto: Bloomicon/Shutterstock

Após a criação do seu próprio site, a participação nas mais diversas redes sociais pode ser uma grande aliada para o empreendedorismo digital.

Vale ficar atento às novas tendências e investir na produção de conteúdo voltada para o seu segmento. Os engajamentos no setor também são úteis: como os algoritmos das plataformas costumam direcionar assuntos de interesse dos usuários, a chance de expandir o seu alcance ao participar das tendências do setor também serão grandes.

Usar as próprias redes sociais como extensão para as suas vendas também pode ser um ótimo negócio, ainda mais se considerar que o WhatsApp tem sido a principal rede social utilizada nos negócios online, segundo levantamento divulgado em maio deste ano pelo Serasa Experian. Mas lembre-se: complemento, e não solução.

  • Domínio e hospedagem
Ilustração de domínio e hospedagem de site
Domínio e hospedagem serão necessários para a criação do site. Foto: NicoElNino/Shutterstock

O domínio virtual nada mais é do que o endereço físico de uma página de web — sim, aquele digitado na URL dos navegadores. É ele que vai ajudar na fidelização de sua empresa com o consumidor.

As terminações mais populares são “.com”, “.net” ou “.org”, por exemplo. Mas existem diversas opções personalizadas como “.tech” ou “.design”, que podem ser um diferencial em meio à concorrência do empreendedorismo digital.

Esses domínios personalizados também ajudam o usuário a identificar mais facilmente sobre o que é o seu negócio: se é sobre produtos de arte, por exemplo, há a opção “.art”; se for uma agência, há o “.ag”; se for um comércio, há o “.biz” – do inglês “business”; entre outros.

Já a hospedagem são os servidores responsáveis por manter a sua página ativa na internet e possibilitar o armazenamento de todos os seus dados, como fotos, vídeos, textos, arquivos, páginas de web e diversos outros.

Existem diversos planos de hospedagem, cujos preços podem variar de acordo com a necessidade do empreendedor. Antes de contratar o serviço, vale analisar o quanto de armazenamento você precisará, a largura de banda e o número de bytes que podem ser transferidos em um determinado período.

  • Tenha um e-mail profissional
Ilustração de e-mail
E-mails profissionais darão mais segurança aos consumidores. Foto: alice-photo/Shutterstock

Ter um e-mail profissional irá agregar valor ao negócio. Como os serviços de e-mails gratuitos são concorridos, a possibilidade de alguém já ter adquirido o endereço eletrônico desejado é grande.

Por conta disso, será muito mais confiável abrir um e-mail de um endereço “seunome@suaempresa.com” do que “seunome12345@gmail.com”, não é mesmo? Aliás, segundo a GoDaddy, um email empresarial, com um domínio próprio, aumenta a probabilidade de escolherem a sua empresa em até nove vezes.

Sem contar os reforços de segurança e suporte personalizado geralmente oferecidos por serviços de e-mails corporativos, ter um endereço eletrônico também dará mais credibilidade ao realizar, por exemplo, a estratégia de e-mail marketing, um dos grandes aliados do empreendedorismo digital.

Leia mais:

  • Otimização de SEO
Cuidados com SEO para o seu negócio de empreendedorismo digital
Dica vai ajudar sua página a ser melhor ranqueada nas pesquisas do Google. Foto: eamesBot/Shutterstock

Seja para um negócio voltado para a produção de conteúdo, ou para materiais que vão ser alocados no blog da página, a otimização de SEO será importante para ganhar mais visibilidade de seu público-alvo.

Simples regras específicas como cuidados com a URL, otimizações da escaneabilidade de leitura, tamanho das postagens e uso de palavras-chaves, permitirão que sua página seja melhor colocada nos primeiros resultados do Google.

A lógica é clara: com mais visibilidade, maior possibilidade de tráfego e, naturalmente, mais vendas.

  • Ferramentas de organização empresarial
Ferramentas para organizar as operações de trabalho
Ferramentas servirão como uma agenda online organizacional para o negócio online. Foto: NicoElNino/Shutterstock

Trello, Asana, Bascamp… Todas essas ferramentas podem ser úteis para auxiliar na organização de prioridades durante a jornada no empreendedorismo digital.

As plataformas funcionam como uma espécie de agenda colaborativa, em que os gestores podem organizar cards em colunas para definir as prioridades – mesmo se a empresa é de uma pessoa só!

Seja para um negócio e-commerce, para um blog de moda, ou para qualquer outra operação, essas ferramentas podem otimizar o fluxo de trabalho da equipe — ou do autônomo.

  • Google Analytics
Foto de Google Analtyics
Mensurar os resultados e encontrar vulnerabilidades são pontos importantes para otimizar o negócio. Foto: IB Photography/Shutterstock

A última das dicas é a ferramenta Google Analytics, que será melhor utilizada depois que o site já estiver no ar. Isso porque ela fornecerá dados importantes para a estratégia de marketing digital, auxiliando com análises que poderão otimizar o tráfego da página.

Com a ferramenta, por exemplo, o empreendedor poderá monitorar o número de usuários e de visitas ao site, analisar as métricas das taxas de rejeição, o tempo de duração de cada acesso, os períodos com maior tráfego, os meios que os consumidores utilizam para chegar na página e diversas outras funções.

Por meio dessas métricas, será possível ajustar algumas estratégias para otimizar a sua página, bem como a experiência do cliente.

Essas são algumas das principais ferramentas e necessidades para quem deseja ingressar no empreendedorismo digital. Certamente elas ajudarão a impulsionar o seu negócio, mas claro, isso também dependerá de todo o planejamento feito — além de demandar muito esforço e uma “pitada” de paciência.

Se quiser saber mais sobre ferramentas essenciais que você pode utilizar para impulsionar o seu e-commerce, fizemos uma outra matéria sobre o assunto. Basta acessar este link!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!