Pesquisadores da Nasa, a agência espacial norte-americana, acreditam ser possível que sistemas estelares binários atrapalhem a observação de exoplanetas semelhantes à Terra.

De acordo com uma equipe de cientistas do Transiting Exoplanet Survey Satellite, ou Tess, a análise de pontos de luz captados pelo satélite indica que algumas das estrelas em potencial na amostra eram na verdade sistemas estelares binários, ou seja, que possuem dois sóis.

publicidade

O estudo descobriu que os pares estelares podem esconder vários exoplanetas, o que significa que mundos rochosos do tamanho de nossa casa planetária podem não só estar ocultos da vista de todos, mas existir em maior número do que se pensava.

O Tess caça exoplanetas ao redor de estrelas próximas observando as quedas de luz causadas quando um planeta transita ou passa na frente de uma estrela.

Segundo a Nasa, desde o lançamento do satélite, em abril de 2018, os astrônomos identificaram positivamente mais de 100 exoplanetas anteriormente desconhecidos e mais de 2 mil e 600 candidatos que aguardam confirmação.

Mas, a nova pesquisa sugere que pode haver muito mais exoplanetas perdidos no brilho das duas estrelas-mãe.

Assim, se confirma o que muitos astrônomos suspeitavam: o brilho de uma segunda estrela preenche a luz que, de outra forma, seria bloqueada por um pequeno planeta parecido com a Terra.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!