Agentes da inteligência militar dos Estados Unidos redigiram um alerta em que acusam a China de desenvolver uma tecnologia avançada para armas antissatélite. Segundo o relatório, o dispositivo seria capaz de impedir a vigilância via satélite e até mesmo destruir equipamento em órbita com projéteis lançados do solo.

O alerta foi emitido pelo contra-almirante Michael Studeman durante um webinar destinado a um grupo de comércio de equipamentos de inteligência e segurança, realizado na semana passada. Segundo o militar, a China está desenvolvendo armamento com capacidades impressionantes, e o processo já está bastante acelerado.

publicidade

Studeman defende que a China espiona o desenvolvimento de tecnologia espacial dos Estados Unidos e logo copia o que os americanos desenvolvem.  O contra-almirante acredita que os chineses querem dominar essas tecnologias para conseguir passar pelas etapas necessárias para chegar a seus objetivos.

Leia mais:

O aviso de Michael Studeman não é o primeiro do tipo, com os norte-americanos tendo plena certeza de que a China vem trabalhando forte no desenvolvimento de armas antissatélite, tendo como principais alvos os satélites dos Estados Unidos.

Sem novidades

Em um comunicado emitido em abril, o diretor da inteligência nacional do país classificou a estação espacial Tiangong como uma ameaça a segurança de baixa órbita dos EUA. De acordo com o documento, o objetivo do posto avançado é “obter os benefícios militares, econômicos e de prestígio que Washington obteve com sua liderança espacial”.

De acordo com os militares, o Exército de Libertação Popular da China continuará a trabalhar em serviços espaciais, como reconhecimento e posicionamento por satélite, navegação e cronometragem e comunicações por satélite em suas armas e sistemas de comando e controle para minar a vantagem de informação do exército dos EUA.

Ataque e contra-ataque

Arma espacial dos Estados Unidos da época da Guerra Fria. Crédito: USA Army/Archive

Mas voltando para o webinar de julho, Studeman também detalhou como a China estaria planejando desenvolver naves para a interceptação, captura e destruição de satélites norte-americanos. Os militares argumentam que os chineses já teriam disparado lasers antissatélite baseados em solo para cegar ou danificar sensores ópticos e até mesmo destruir satélites na órbita baixa da Terra.

Mas além de acusar seus adversários, os Estados Unidos também estão trabalhando no desenvolvimento de equipamentos com a mesma tecnologia para incapacitar ou destruir satélites de outros países. Uma dessas armas é conhecida como sistema Meadowlands, projetada para bloquear temporariamente satélites beligerantes.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!