Após as críticas recebidas por parte da família de Pedro Dom, em especial da irmã mais velha, Érika Lomba, o diretor da série ‘DOM‘, Breno Silveira, escreveu uma carta direcionada ao elenco para explicar que ficou surpreso com o desenrolar dos fatos e que as recentes notícias trouxeram tristeza. Ontem (13), o Olhar Digital noticiou que uma ação, que corre sob sigilo de Justiça, tenta barrar a segunda temporada da série, tendo como réus a Conspiração Filmes S/A e Amazon Serviços de varejo do Brasil Ltda. 

A família revela que não autorizou a divulgação da história e que está sofrendo abalos emocionais pela exposição, inclusive com fatos teoricamente distorcidos inseridos na trama, principalmente em razão da imagem de ‘pai herói’ revelada na série.

publicidade

Segundo o diretor, existe um racha na família, inclusive abordado na obra, mas que uma outra irmã por parte de pai, assim como o falecido Luiz Victor Dantas Lomba, pai de Pedro, concordaram com a obra que já está sendo transmitida em vários países. A história conta a trajetória de um jovem de classe média do Rio de Janeiro que era viciado em cocaína, realizando roubos a residências de luxo para manter o vício.  

‘Família rompida’, escreve Breno Silveira

“Uma das filhas do Victor deu declarações imprecisas e complicadas sobre a série DOM, e eu entendo. Quando tive contato com essa história pela primeira vez, foi o próprio Victor que a trouxe até mim. Um pai e uma filha querendo contar sua própria história. Do outro lado, uma mãe e uma outra filha não querendo falar sobre essa mesma história. Infelizmente, uma família rompida. Sempre achei que pai e filha tinham o direito de querer levar essa história adiante, e assim foi feito. Os acordos foram devidamente realizados e eles tiveram grande parcela de contribuição nessa narrativa, acompanhando a construção desse roteiro.”, apontou Breno Silveira. 

De acordo com o diretor, a história é contada a partir do ponto de vista que chegou a ele, rebatendo às críticas de Érika e sua mãe, Nídia Sarmento de Oliveira, que alegam que o pai não era presente e facilitava a dependência química de Pedro, inclusive tirando-o várias vezes de internações em clínicas de reabilitação. 

“Toda a história é contada a partir de um ponto de vista, o ponto de vista que chegou a mim. Pai e filha são sócios do livro que foi base de tudo e da série. Um livro que nunca foi contestado antes por nenhum dos dois lados partes dessa família”.

Leia mais:

E revela que o filho de Pedro Machado Lomba Neto, um menor de 16 anos, receberá os direitos financeiros referentes à obra, situação que consta em um acordo fechado com  Luiz Victor Dantas Lomba antes de morrer, vítima de um câncer. 

Série DOM foi lançada no dia 4 de junho e obteve sucesso absoluto na plataforma de streaming, inclusive com o anúncio de segundo temporada. Imagem: Divulgação / Amazon Prime Video

“Parte dos frutos dessa obra foram destinados ao futuro do filho que o Pedro deixou ainda bebê, como acordado com Victor e sua filha mais nova. A nossa série fala sobre um problema social e familiar que acontece mais do que imaginamos”, escreveu Silveira.

Breno Silveira revela ainda a importância da série DOM para dar visibilidade a temas sensíveis que atingem a sociedade. 

“Pois ampliam questões, geram discussões relevantes e, às vezes, podem até gerar mudanças sociais. Personagens são capazes de transformar nossas percepções e, quem sabe, transformar vidas”, escreveu o diretor de DOM.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!