Já imaginou uma versão de Super Mario feita pelos criadores de ‘Doom‘? Pois ela existe. Mas antes que você mentalize a imagem do encanador bigodudo metralhando goombas ou coisa do tipo, calma. O que ocorre é que a id Software propôs à Nintendo um porte para PC de ‘Super Mario Bros. 3’ (1988), ideia que foi recusada. O projeto chegou a ter uma demo, recentemente adquirida pelo Strong National Museum of Play, em Nova York (EUA).

Leia mais:

publicidade

Segundo apuração do Ars Technica, o raro material foi enviado ao museu por um desenvolvedor que não esteve envolvido no projeto, mas que acabou recebendo a demo durante um trabalho. O nome do doador, assim como mais detalhes a respeito de como ele teve acesso ao conteúdo da id Software não foram revelados.

Tela inicial da demo de Super Mario Bros. 3 para PC.
Na tela inicial da versão para PC, é possível observar o antigo logotipo da empresa. Crédito: Strong National Museum of Play/Divulgação

“É uma demo em estágio inicial e carece de ajustes e de polimento, algo que só ocorreria se os desenvolvedores pudessem ter trabalhado com a Nintendo”, explicou o curador do museu, Andrew Borman, em entrevista ao Ars Technica.

Borman disse que, a princípio, a demo não ficará disponível para o público que visita o museu, mas poderá ser consultada por pesquisadores da área. Abaixo, você pode conferir um vídeo da versão para PC rodando. O

A história por trás da demo

E existência da demo foi revelada pela primeira vez ao grande público em 2003, no livro ‘Masters of Doom’, do jornalista David Kushner, que resgata a trajetória dos fundadores da id Software, John Carmack e John Romero.

O projeto foi desenvolvido antes mesmo de a empresa lançar o primeiro ‘Doom’ (1993) e quando ainda era chamada de Ideas from the Deep (IFD). A demo foi apresentada à Nintendo pouco tempo após o lançamento de ‘Super Mario Bros. 3’ nos EUA, que ocorreu em 1990, dois anos depois de sair no Japão.

A expectativa dos desenvolvedores era que a demo encorajasse a Nintendo a contratar o estúdio para trabalhar em uma versão oficial para MS-DOS.  O trunfo dessa demonstração era um algoritmo, desenvolvido pelo próprio Carmack, que tornava a transição das telas muito mais fluída do que era padrão nos PCs da época.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!