À medida que o clima do globo terrestre se modifica, mudam também os oceanos. E vários satélites monitoram essas mudanças há praticamente 30 anos.

Mas agora, uma parceria das agências espaciais da Europa e dos Estados Unidos lançou o Sentinel 6 Michael Freilich, para começou a fornecer medições ultraprecisas do comportamento do nível dos mares na Terra.

publicidade

Com isso, os meteorologistas vão ser capazes de rastrear melhor os padrões climáticos, e monitorar com precisão as temperaturas e o aumento do nível do mar. Isso pode dar indicações mais precisas sobre o início de furacões, por exemplo.

A missão do Sentinel 6 apenas começou. Dentro de alguns meses, ele vai assumir o lugar do antecessor, o Jason 3, e fazer medições com precisão de centímetros.

Por enquanto, os dois satélites varrem 90% dos oceanos do mundo em intervalos regulares. Os cientistas então comparam os dados dos dois para garantir que o Sentinel 6 esteja à altura da tarefa, antes de assumir o trabalho sozinho.

Mas dois fluxos de dados do novo satélite já estão disponíveis para a comunidade mundial de previsão do tempo, fornecendo informações sobre a altura da superfície do mar com precisão de 3 centímetros e meio.

Esse não é o último satélite da família. O Sentinel 6B tem lançamento programado para 2025. Os dois vão garantir que os cientistas recebam dados mais precisos para a prever melhor o que esperam as comunidades no futuro.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!