A MediaTek anunciou nesta sexta-feira (16) dois novos chipsets para smartphones intermediários, o G96 e o G88. Ambos são pequenas atualizações de modelos que já estão no mercado, com mudanças como suportes a telas com alta taxa de atualização e suporte a sensores de câmera com maior resolução.

O G96 é baseado no atual G95, e usa o mesmo processador baseado em dois núcleos ARM Cortex-A76 rodando a até 2,05 GHz e seis núcleos ARM Cortex A-55 rodando a até 2 GHz. A GPU, entretanto, é menos poderosa: é uma Mali-G57 MC2, em vez da Mali-G76 MC4 do G95. Apesar disso, o G96 consegue controlar telas com resolução de até 180p+ a 120 Hz, enquanto seu antecessor está limitado a 90 Hz.

publicidade

Leia mais:

O G88 também mantém a CPU e GPU de seu antecessor, o G85. A principal diferença aqui, novamente, é o suporte a telas com resolução 1080p+ a 90 Hz, enquanto no modelo anterior a resolução máxima nessa frequência era 720p+. O suporte a câmeras também mudou: o novo chip pode trabalhar com sensores de até 64 MP, enquanto o modelo anterior chegava a no máximo 48 MP.

“Com o lançamento do Helio G96 e G88, a MediaTek avança sua posição como a líder na inovação em chips móveis, entregando novos SoCs que irão aprimorar a experiência com telas e fotografia no mercado de massa”, disse CH Chen, Gerente Geral Assistente de Produtos de Comunicação sem Fios no  grupo de negócios Wireless da MediaTek.

“A MediaTek está continuamente avançando o desempenho dos chips, velocidade e confiabilidade. Esses novos chips da série Helio G estão no centro de experiências móveis incríveis”, completou.

Chip ARM da MediaTek
A MediaTek recentemente se tornou a maior fabricante de chipsets para celulares, superando a Qualcomm. Imagem: g0d4ather/Shutterstock

Em março deste ano, dados da companhia de pesquisas Omdia indicavam que a empresa taiwanesa alcançou o posto de líder em vendas de chipsets para celulares, ultrapassando a Qualcomm.

Segundo o relatório, a MediaTek forneceu ao mercado 351,8 milhões de chipsets para smartphones ao longo de 2020, o que representa um aumento de 113,8 milhões de unidades em relação a 2019. Na época, a companhia detinha uma participação global de 27,2% no segmento, um aumento de 10% em comparação com 2019.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!