Deu certo! A Nasa conseguiu ativar com sucesso o hardware de backup da  Unidade de Controle de Energia (PCU) do Hubble, e os instrumentos científicos do telescópio voltaram a coletar de dados. O icônico instrumento estava com suas operações suspensas desde 13 de junho, quando uma queda nos níveis de tensão do componente forçou o computador de carga útil a interromper suas operações.

“O Hubble é um ícone que nos dá uma visão incrível do cosmos nas últimas três décadas”, disse o administrador da NASA, Bill Nelson. “Estou orgulhoso da equipe do Hubble, de membros atuais a ex-alunos do Hubble que se apresentaram para dar seu apoio e experiência. Graças à sua dedicação e trabalho atencioso, o Hubble continuará a construir seu legado de 31 anos, ampliando nossos horizontes com sua visão do universo”, completou, em comunicado oficial.

publicidade

Leia também:

As observações perdidas durante a suspensão das operações científicas serão reprogramadas para uma data posterior. A Nasa espera que o Hubble ainda dure “muitos anos mais” e continue fazendo suas observações, “trabalhando em conjunto com outros observatórios espaciais, incluindo o Telescópio Espacial James Webb para aprofundar nosso conhecimento do cosmos”.

par de galáxias em colisão na constelação do Pégaso
NGC 7318 – par de galáxias em colisão na constelação do Pégaso, pelas lentes do Hubble. Foto: Hubble/Esa/Nasa, processamento: Jose Jimenez Priego

O ajuste incluiu colocar online a Unidade de Controle de Energia (PCU) de backup e também a Unidade de Comando / Formatador de Dados Científicos (CU/SDF) de backup do outro lado da unidade de Instrumento Científico e de Comando e Manuseio de Dados (SI C&DH). A PCU distribui energia para os componentes SI C&DH e a CU/SDF envia e formata comandos e dados.

Além disso, outras peças de hardware a bordo do Hubble foram trocadas para suas interfaces alternativas para se conectar ao lado de backup do SI C&DH. “Uma vez que essas etapas foram concluídas, o computador de carga útil de backup nesta mesma unidade foi ligado e carregado com o software de voo e colocado no modo de operação normal”, explicou a Nasa.

Lançado em 1990, o Hubble trabalha incansavelmente há mais de 31 anos, contribuindo com mais de 18 mil artigos científicos. Seus dados permitiram algumas descobertas significativas, como a expansão acelerada do universo, a evolução das galáxias ao longo do tempo e os primeiros estudos atmosféricos de planetas além do nosso Sistema Solar.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!