O bitcoin registrou uma queda drástica nesta segunda-feira (19), atingindo um patamar inferior a US$ 30 mil. Este é o menor valor registrado para a moeda digital desde o fim de junho.

O impacto também reverberou em outras criptomoedas como o ethereum. Nas últimas 24 horas, o equivalente a US$ 90 bilhões em criptomoedas foram eliminados do mercado, resultando na queda de 6% para o bitcoin e cerca de 9% no caso do ethereum.

publicidade

Os analistas de mercado indicam que a proibição da mineração e do comércio de criptomoedas na China também foram motivos para a queda. No país asiático, os principais responsáveis ​​pela mineração de bitcoins foram forçados a encerrarem as atividades devido ao alto consumo de energia.

O Banco Central da China, inclusive, alertou as empresas de finanças sobre a proibição de fornecer quaisquer serviços relacionados à produção e comercialização de criptomoedas no país.

Restrições estas que não estão entrando em vigor apenas na China. A regulamentação cada vez mais rigorosa também pode ser observada no Canadá, Japão, Reino Unido, Tailândia, dentre outros.

Leia mais:

Bitcoin pode continuar caindo

A imagem representa a queda da criptomoeda bitcoin
Oscilações no valor de mercado do bitcoin devem continuar. Imagem: 1698/Shutterstock

Clem Chambers, CEO da ADVFN, empresa que fornece ferramentas e dados financeiros para investidores, declarou à CNBC que “o inverno do bitcoin chegou”. Portanto, por ora, não haverá crescimento expressivo no valor da criptomoeda.

O executivo acredita que a taxa do bitcoin cairá ainda mais, batendo US$ 10 mil ou até US$ 7 mil, gerando uma enorme volatilidade no mercado. Para os investidores, Chambers recomenda esperar, já que não há necessidade de entrar no mercado neste período de incerteza.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!