O planeta Júpiter pode ser orbitado por dezenas ou mesmo centenas de luas desconhecidas, mas pelo menos uma delas deixou de ser segredo: O astrônomo amador Kai Ly fez a descoberta mais recente depois de se debruçar sobre as imagens de um antigo telescópio.

Segundo ele, essa é a primeira lua planetária descoberta por um astrônomo amador.

publicidade

O enorme planeta tem um campo gravitacional forte o bastante para capturar detritos espaciais e os colocar em órbita. Atualmente, Júpiter hospeda pelo menos 79 luas, e o número continua a crescer. A mais recente, descoberta por Ly, é a última adição ao catálogo da Nasa do grupo Carme, uma família de satélites jupiterianos que têm órbitas e aparência semelhantes, razão pela qual se acredita que tenham uma origem comum.

Com um raio médio de 23 quilometros, Carme é o maior membro do grupo, e provávelmente é a rocha-mãe da lua descoberta pelo astrônomo amador, e também dos outros 22 membros conhecidos. Astrônomos acham que Carme foi um asteróide capturado pela gravidade de Júpiter e que o grupo é formado por pedaços que se desprenderam após uma colisão cósmica.

Ly fez a descoberta olhando online para um conjunto de dados de 2003, coletado por pesquisadores da Universidade do Havaí.

Quando o satélite receber um nome formal, provavelmente vai terminar com a letra e, como Carme.

É ou não é um bom motivo para olhar o céu com atenção??

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!