Nesta quarta-feira (21), o veículo SpaceX Crew Dragon Endeavour trocou de porta de ancoragem a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) em preparação para a missão Starliner OFT-2. A manobra começou às 10h45 UTC (07h45, pelo horário de Brasília) e teve duração de 45 minutos, com desacoplamento da porta dianteira do módulo Harmony.

Após o desencaixe, a cápsula recuou a uma distância de 220 metros da ISS antes de manobrar em direção à porta Zenith, para um novo encaixe. O Endeavour atracou de volta às 11:35 UTC (08h35, no fuso de Brasília).

Estão a bordo do Dragon os astronautas Shane Kimbrough, da SpaceX, Megan McArthur, da Nasa, Thomas Pesquet, da agência espacial europeia (ESA) e Aki Hoshide, da agência japonesa de exploração espacial (JAXA), usando seus trajes da SpaceX para protegê-los de um improvável evento de despressurização.

Tripulação do SpaceX Crew Dragon Endeavour. Imagem: CodeCarvings Piczar FREE Community Edition

A realocação teve início quando a cápsula se desencaixou da porta do adaptador de acoplamento pressurizado-2 (PMA-2) / adaptador de acoplamento internacional (IDA-2) no lado dianteiro do módulo Harmony, porta onde esteve atracado desde a sua chegada à ISS, em 24 de abril.

Ilustração de uma cápsula manobrando para se acoplar à Estação Espacial Internacional. Imagem: Mark Crawford — NSF/L2

Então, a Endeavour se afastou da ISS a uma distância de 220 metros, momento em que foi realizada uma manobra “flyaround” automatizada de 90 graus, a fim de se alinhar com a porta PMA-3 / IDA-3 no Zenith.

Depois, o veículo iniciou o procedimento para reacoplar à ISS. Após uma docagem bem-sucedida, as escotilhas foram reabertas após a pressurização do vestíbulo e os procedimentos de verificação de vazamento terem sido realizados.

Descolamento de veículos tripulados é comum na ISS

O deslocamento de veículos tripulados dos EUA está se tornando comum na ISS, tendo em vista que as espaçonaves Crew Dragon, Cargo Dragon e Starliner compartilham as duas únicas portas de ancoragem disponíveis para os veículos norte-americanos.

Outras portas da ISS são compatíveis apenas com os veículos que atracam na estação com a ajuda do Canadarm2, como o Cygnus da Northrop Grumman e a Dream Chaser, próxima nave da Sierra Nevada Corporation, além do veículo de carga japonês HTV-X. Ou então são compatíveis apenas com as espaçonaves russas Soyuz e Progress no segmento russo da estação.

A realocação de hoje foi realizada para liberar a porta PMA-2 para a chegada do veículo Starliner da Boeing na missão OFT-2, com lançamento previsto para sexta-feira da semana que vem (30), atracar na ISS no dia seguinte.

Um problema com os veículos que atracam na porta PMA-3 / IDA-3 no lado Zenith da Harmony é que a antena Ku-band Espaço para Terra (SGANT) da estação, localizada no topo da Treliça Z1, pode ser bloqueada pela aproximação de veículos.

Leia mais:

Uma vez que o SGANT deve apontar para o espaço a fim de se comunicar com os satélites de rastreamento e retransmissão de dados (TDRS) localizados em órbita geossíncrona, quaisquer veículos que se aproximem da ISS de cima podem ficar entre o SGANT e o TDRS, dependendo da posição do TDRS e do momento do encaixe.

Isso indica problemas de refletividade de sinal, por meio dos quais a energia da banda Ku de alta potência pode ser devolvida ao SGANT, danificando seus sensíveis sensores de autoalinhamento.

Portanto, o SGANT deve ser apontado para longe dos veículos que se aproximam, um procedimento conhecido como “mascaramento”, pelo qual o SGANT é impedido de apontar para qualquer lugar em direção ao corredor de abordagem dos veículos.

Isso significa que a transmissão ao vivo de vídeo da aproximação e acoplamento nem sempre é possível, pois isso só pode vir via sinal de banda Ku do SGANT.

Tripulação da ISS consegue ver vídeos ao vivo dos veículos que se aproximam

A tripulação a bordo da ISS ainda pode receber vídeo ao vivo das câmeras do veículo que se aproxima, visto que é retransmitido por meio do link Comunicações Comuns para Veículos Visitantes (C2V2), usando as antenas de banda S.

No entanto, os controladores no solo não conseguem ver as imagens ao vivo das câmeras de acoplamento devido à falta de um link Ku e, por esta razão, o PMA-2 é a porta preferida para alguns encaixes — especialmente voos de teste. Já que ela é localizada no lado frontal do Harmony, não há problemas de mascaramento SGANT com veículos que usam esta porta.

É por isso que a primeira ancoragem não tripulada do Starliner na ISS usará a porta PMA-2, assim como o veículo Crew Dragon da SpaceX fez na missão não tripulada Demo-1. O PMA-2 também é a porta preferida para a OFT-2, já que o software de voo da Starliner foi certificado para acoplamento PMA-2 — embora a versão operacional do veículo tenha a capacidade de acoplar em qualquer porta. 

Além disso, o PMA-2 oferece melhores condições de iluminação e não tem problemas com a obstrução do sensor, devido aos veículos que se aproximam não estarem apontados para a Terra como são para as chegadas na PMA-3.

Após a partida do Starliner, pode haver uma realocação do Endeavour da PMA-3 de volta ao seu porto original na PMA-2. Isso seria para liberar a PMA-3 para a chegada da CRS-23 Cargo Dragon, no fim de agosto, caso qualquer carga não pressurizada seja lançada no porta-malas do Dragon que precise ser acessada ​​pelo braço robótico da estação.

Com informações da Nasa Spaceflight

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!