A variante Delta da Covid-19 está sendo responsável por um aumento de casos da doença no mundo. No entanto, os imunizantes atuais usados no combate ao coronavírus conseguem proteger os vacinados contra a cepa. Em um estudo recente, a Pfizer registrou 88% de eficácia e a AstraZeneca 67%.

AstraZeneca e Pfizer contra a variante Delta

A pesquisa foi publicada no New England Journal of Medicine com dados de 20 mil pacientes que tiveram o diagnóstico positivo para a variante Delta. “Foram notadas algumas diferenças modestas na eficácia das vacinas contra a variante Delta em relação à Alfa após as duas doses. As diferenças são muito marcantes depois de receber apenas a primeira dose. Esses dados dão apoio para os esforços de maximizar a difusão da vacinação completa entre as populações vulneráveis”, diz a pesquisa.

publicidade

A eficácia das duas doses da Pfizer em casos com sintomas girou em torno de 88%, com a versão Alfa do vírus o número ficou em 93%. Já a AstraZeneca teve 67% eficácia contra 74,5% contra a versão Alfa. Agora com apenas uma dose ambos os imunizantes registraram menos de 30% de eficácia contra o vírus. O que reforça a necessidade de se tomar as duas doses.

Leia mais:

Os pesquisadores ainda afirmam que, tanto a Pfizer quando a AstraZeneca são criadas para evitarem casos graves da doença e que, mesmo tomando as duas doses, os números de contágio podem permanecer altos, mas com um baixo nível de hospitalizações.

Um estudo feito em Israel chegou a apontar uma queda de 30% na eficácia da Pfizer contra a variante Delta, mas a pesquisa ainda não passou por revisões e não incluiu a AstraZeneca. Ambas as vacinas estão sendo usadas no Brasil.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!