O Banco Central do Brasil (BC) anunciou nesta quinta-feira (22) mais uma atualização ao sistema de pagamento instantâneo que foi lançado no final do ano passado. O Pix deve passar a ser um método de transferência válido em aplicativos de mensagens e redes sociais, além de também funcionar como método de pagamento em compras on-line.

No entanto, as novas funções só chegarão aos clientes das instituições financeiras que fazem parte do Open Banking, também conhecido como Sistema Financeiro Aberto.

publicidade
BC permite que Pix seja utilizado em lojas on-line e em carteiras digitais. Imagem: Reprodução

Foram definidos os requisitos técnicos e os procedimentos operacionais para o compartilhamento do serviço de iniciação de transação de pagamento de Pix. A iniciação ocorre quando a instituição financeira que realiza o pagamento com Pix não é a mesma que o usuário possui uma conta aberta.

O que significa que o usuário poderá realizar pagamentos com o Pix por meio de um aplicativo diferente daquele do seu banco onde a chave Pix está cadastrada, ou seja, lojas e carteiras digitais, como o PayPal, poderão iniciar uma transação via Pix, permitindo que o usuário só confirme a transferência.

A resolução do BC atualiza as regras do Pix e estabelece que as mudanças ocorrerão por fases, de modo que as instituições tenham tempo suficiente para efetuar os ajustes nos seus sistemas para cada uma das formas de iniciação de pagamento por Pix.

Leia também!

“Esse procedimento é importante para viabilizar a atuação de prestadores de serviço de iniciação no comércio eletrônico, e tem o objetivo de aprimorar a atual experiência dos usuários, tornando a compra online de bens e serviços por meio do Pix mais ágil”, disse o órgão monetário.

A previsão é que o serviço de iniciação do Pix comece a funcionar a partir do dia 30 de agosto.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!