Em uma parceria inédita, lançada nesta quinta-feira (22), o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) se uniu à Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para apoiar o desenvolvimento de startups de base científica e tecnológica em todo o estado.

Juntas, as duas entidades prometem investir R$150 milhões, em seis anos, para financiar cerca de 150 projetos dentro do Programa PIPE (Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas). 

publicidade
Sebrae-SP e Fapesp firmam parceria inédita para apoio a startups de ciência e tecnologia. Imagem: Darko 1981- Shutterstock

Além do apoio à pesquisa, viabilizado com os recursos da Fapesp, os recursos do Sebrae poderão ser utilizados pelas empresas para ações de acesso ao mercado e desenvolvimento de provas de conceito junto a grandes companhias de tecnologia. O Sebrae oferecerá, ainda, atendimento especializado às startups científicas.

No valor de R$25 milhões, o primeiro edital apoiará a pesquisa para o desenvolvimento de inovação em todas as áreas do conhecimento, selecionando 20 startups para receber, cada uma, até R$1,25 milhão não reembolsáveis. 

Leia mais:

Esses recursos devem ser usados para custear as etapas de pesquisa e desenvolvimento (R$1 milhão), bem como auxiliar nos aspectos de gestão empresarial, como o desenvolvimento comercial, participação em feiras, internacionalização e captação de investimentos (R$ 250 mil).

Parceria Sebrae-SP e Fapesp visa dar apoio a empreendedores

Além dos editais de fomento, a parceria fornecerá assistência a empreendedores, com capacitações em gestão, apoio à comercialização e suporte técnico para registro de patentes. 

A iniciativa faz parte do Programa Cientista + Empreendedor, lançado pelo Sebrae a fim de subsidiar pesquisadores e empreendedores científicos a levar inovações ao mercado, atuando em parceria com universidades, parques tecnológicos e incubadoras do estado de São Paulo.

Wilson Poit, diretor-superintendente do Sebrae-SP, destaca que, geralmente, o perfil dos empreendedores de startups científicas é bem técnico, mas precisa ser aprimorado no que se refere à gestão do negócio. “Os empreendedores das startups científicas enfrentam dificuldades quando o assunto é gestão e têm à frente os desafios de levar suas tecnologias ao mercado e de se relacionar com grandes empresas”, diz Poit. “Sabemos que existem soluções com grande potencial de transformação. Vamos ajudar a concretizar esses projetos e levá-los para o mercado”.

Para Marco Antonio Zago, presidente da FAPESP, a parceria com o Sebrae poderá ampliar o alcance do PIPE e as oportunidades para os empreendedores do estado levarem seus produtos ao mercado. “Somaremos esforços para reforçar o empreendedorismo com um melhor conhecimento do mercado e o aperfeiçoamento dos planos de negócios, aumentando as chances de sucesso de iniciativas inovadoras”.

Propostas podem ser enviadas até 19 de outubro

O edital, que ficará aberto até o dia 19 de outubro, vai receber propostas de empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com unidade de pesquisa e desenvolvimento no estado de São Paulo e faturamento de até R$ 4,8 milhões. 

De acordo com o site IPNews, a equipe de seleção vai avaliar a consistência e viabilidade do Planejamento de Negócios. O documento deve demonstrar a estratégia que a empresa pretende usar para gerar receitas a partir da pesquisa inovadora proposta. 

Confira mais detalhes neste link.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!