Sabe qual o maior problema dos críticos atuais? A comparação fora da alçada e exagerada. O aclamado diretor Steven Spielberg já dizia que as idas ao cinema sempre “são mágicas, e não interessa que filme é que é”. Logo, por que não simplesmente entender que romances melodrama e aventuras são diferentes um do outros, produções da Marvel podem não agradar os degustadores cult e vice-versa, e que comédias de ação tem como simples objetivo impressionar e entreter? Veja, ‘Midsommar – O Mal Não Espera a Noite’ e ‘Parasita’ são maravilhosos de assistir, assim como ‘Dupla Explosiva 2 – E a Primeira-Dama do Crime‘, mas com propostas 100% diferentes e, assim, impossíveis de equiparar.

De modo clichê e repleto de cenas exageradas como qualquer filme de ação, e envolto de explosões frenéticas com muita comédia envolvida, a continuação do filme de 2017 estrelado por Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson é tão bem executada quanto o primeiro filme, mas abraça de modo mais direto a premissa “sem noção” ou “não me leve a sério, apenas divirta-se”. Com um grande elenco – e bota grande nisso: Salma Hayek, Frank Grillo, Richard E. Grant, Antonio Banderas e Morgan Freeman -, a sequência dirigida novamente pelo australiano Patrick Hughes traz o que funcionou na parte 1 e multiplica. Ou seja: mais sequências rápidas, tiroteios, assassinatos e humor prático e “pastelão”.

publicidade
Crítica: 'Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime'
‘Dupla Explosiva’ agora é trio! Salma Hayek é agora uma das protagonistas ao lado de Reynolds e L. Jackson. Imagem: Lionsgate/Divulgação

E não é que o roteiro de Tom O’Connor (junto aos irmãos Brandon e Phillip Murphy), que também escreveu a história do primeiro ‘Dupla Explosiva’, não faça sentido, todavia a compreensão fica em segundo plano. Afinal, são praticamente duas horas de, bem, tudo acontecendo na tela e ao mesmo tempo. Então, até o público mais atento provavelmente desistirá de entender 100% da trama e concentrará os esforços na jornada violenta e repleta de absurdos dos protagonistas, de modo que não podemos (ou não temos tempo de) prestar atenção em furos, sucumbindo às ótimas cenas de ação (que, para um produto do gênero, são bem excessivas).

Sobre a verdadeira personagem principal da continuação, não há como não cair na gargalhada em todos os momentos em que Hayek aparece. Sonia, esposa do assassino Darius Kincaid, é insana, impulsiva e simplesmente rouba o protagonismo da ‘Dupla Explosiva’ original, trazendo ao público toda a sexualização e o melhor do estereótipo latino no sentido de comédia, com muitos “fucks“, surtos e momentos imprevisíveis. Se houvesse como dar uma nota para a atuação dela, em geral, com certeza estaria acima de Reynolds e L. Jackson.

Crítica: 'Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime'
Verdadeira protagonista? Hayek rouba a cena em ‘Dupla Explosiva 2’. Imagem: Lionsgate/Divulgação

E não me leve a mal: se você amou a história do primeiro filme, irá gostar de saber que o agente de segurança particular rebaixado e o assassino de aluguel desbocado ainda estão tão cômicos quanto nunca. No caso de L. Jackson, é sempre incrível ver um ator de 72 anos, que já é considerado uma lenda em Hollywood, em cenas intensas de ação que exigem certo preparo, mas ao mesmo tempo “tirando um sarro” com tudo – seja com a piada mais escracha sobre “pênis e bolas” até o fato de Morgan Freeman ser negro (pois é).

Por sua vez, Reynolds tem dificuldade de sair do papel de Deadpool desde 2016, contudo isso não é ruim de forma alguma e funciona muito bem em ‘Dupla Explosiva 2’. O ator se beneficia da condição de protagonista para brincar sobre o absurdo que é estar no centro de várias situações extremas, berrando aos céus e a quem possa ouvir o quão é injustiçado e, no fim, caçoando dele mesmo – tudo isso com tentativas constantes de quebrar a quarta parede. Esse modus operandi é, hoje, legal de acompanhar e arranca risadas, mas creio que em algum momento num futuro próximo possa saturar. Felizmente, no filme em questão, não é o caso.

Casal assassino e insano: Samuel L. Jackson e Salma Hayek em cena de ‘Dupla Explosiva 2’. Imagem: Lionsgate/Divulgação

Em relação aos atores coadjuvantes, o longa se esforça para não fracassar, visto que filmes com muitos astros e estrelas em cena são muito difíceis de dirigir. Tal qual ‘Os Mercenários 3’, Hughes também perde a mão ao tentar emplacar vários nomes de peso na tela simultaneamente. Salvo os três protagonistas e Freeman, que aos 84 anos mostra ainda que sabe lutar com classe em cenas de ação, a sequência tem o restante das atuações quase descartáveis. Frank Grillo não consegue ser engraçado, Antonio Banderas decepciona como vilão, Richard E. Grant aparece em uma cena e não é para resolver tudo como fez em ‘Loki‘ e Tom Hopper, o irmão nº 1 de ‘The Umbrella Academy’, parece que não queria estar ali.

De qualquer modo, todo o elenco é abrilhantado por uma produção que é um espetáculo aos olhos de quem está assistindo. Lionsgate, Millennium Media e mais quatros produtoras investiram bem o orçamento de U$ 70 milhões e foram capazes de trazer uma fotografia belíssima de cenários europeus como Capri e Florença, na Itália, e em outras localidades na Grécia e Croácia, além de uma edição bem feita. E mesmo com os filmes de ação sempre pedindo por um CGI “ali e acolá”, é bom ver quando cenas são feitas ao ar livre e sem o auxílio da tecnologia… apenas atores, luzes, câmera e ação.

Crítica: 'Dupla Explosiva 2 - E a Primeira-Dama do Crime'
Ponta de peso e nada mais, Antonio Banderas decepciona em ‘Dupla Explosiva 2’. Imagem: Lionsgate/Divulgação

Explosivo e engraçado, ‘Dupla Explosiva 2 – E a Primeira-Dama do Crime’ é boa continuação

Dupla Explosiva 2 – E a Primeira-Dama do Crime‘ acha no exagero a fórmula para comédia de ação quase perfeita. A continuação se desenvolve muito bem, causando vários bons momentos de risada certeira ao público. Afinal, é um filme que não chega para revolucionar o cenário ou ser “maior que aquele ou que esse”, e sim entreter e impressionar – e isso é muito bem feito, pelos atores protagonistas e pela ótima produção repleta de plot twists.

Obviamente, o longa não é nenhuma obra-prima, mas quem está indo assistir procurando por uma? ‘Dupla Explosiva 2’ cumpre bem o papel de divertir tanto no quesito ação e adrenalina, quanto na comédia. No fim, é isso que importa para filmes do gênero “comédia de ação”, pelo amor de Deus…

. Imagem: Lionsgate/Divulgação

Ficou com vontade de assistir ao filme? Saiba que ‘Dupla Explosiva 2 – E a Primeira-Dama do Crime‘, estrelado por Ryan Reynolds, Samuel L. Jackson e Salma Hayek, estreia nesta quinta-feira (28) nas salas de cinema em todo o Brasil. Confira mais detalhes com a sinopse oficial e o trailer logo abaixo:

O guarda-costas Michael Bryce (Ryan Reynolds) terá que abandonar sua licença sabática para proteger Darius (Samuel L. Jackson) e Sonia (Salma Hayek), o casal estranho mais letal do mundo. Enquanto Bryce é levado ao limite por seus dois protegidos, o casal Kincaid se mete em uma trama global, onde são perseguidos por um louco vingativo e poderoso (Antonio Banderas).

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!