Ciência e Espaço

Saiba tudo sobre o teste da espaçonave Boeing Starliner nesta sexta-feira (30)

29/07/21 10h33, atualizada em 30/07/21 08h47
Ilustração da cápsula Boeing Starliner em órbita

Ilustração da cápsula Boeing Starliner em órbita

Atualização em 30/07/2021 às 8h45: O lançamento desta sexta-feira foi cancelado devido ao que a Boeing chama de “eventos” que ocorreram a bordo da Estação Espacial Internacional. A empresa realizará uma coletiva de imprensa às 17h30 (horário de Brasília) com mais detalhes. Uma nova data ainda não foi definida. Nosso texto original segue abaixo.

A Boeing irá realizar nesta sexta-feira (30) a missão Orbital Flight Test-2 (OFT-2, Teste de Voo Orbital-2), para validar a Starliner, espaçonave que está sendo desenvolvida para levar astronautas e carga rumo à Estação Espacial Internacional (ISS).

Sem tripulação, a espaçonave deverá decolar do Complexo de Lançamento 41 na Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral na Flórida, EUA. Se tudo correr como programado, ela deve se acoplar à ISS neste sábado (21) e retornar à Terra de 5 a 10 dias depois. O pouso com a ajuda de paraquedas, em solo, será na White Sands Space Harbor, parte do complexo de testes de White Sands em Alamogordo, no Novo México.

A missão é crucial para o desenvolvimento da Starliner. Um teste anterior (OFT-1) em dezembro de 2019 fracassou após uma falha impedir que a espaçonave realizasse a manobra necessária para atingir uma órbita compatível com a da ISS. Desde então a Boeing realizou, a pedido da Nasa, mais de 80 modificações no veículo, para corrigir os erros encontrados e evitar problemas potenciais em missões futuras.

A falha da Boeing abriu espaço para a SpaceX vencer a corrida no programa de tripulação comercial (Commerical Crew Program) da Nasa, enviando astronautas ao espaço pela primeira vez na missão Demo-2 em maio de 2020, seguida de missões operacionais (Crew-1 e Crew-2) em novembro de 2020 e abril de 2021, respectivamente.

Leia mais:

Como assistir?

O lançamento da Starliner OFT-2 está programado para as 15h53 desta sexta-feira (30). Caso tenha de ser adiado por motivos técnicos ou clima adverso, as datas de backup são 3 de agosto às 14h20 e 4 de agosto às 14h40. Todas as datas estão no fuso horário de Brasília.

A transmissão oficial no canal do Olhar Digital no YouTube começará às 15h desta sexta-feira (30) e deve terminar com a inserção da Starliner em órbita, 31 minutos após o lançamento. Ela será retomada 24h após a decolagem (ou seja, 15h53 de sábado), quando a espaçonave deve iniciar a aproximação da ISS.

Cápsula CST-100 Starliner, da Boeing, sendo montada no topo de um foguete Atlas V da United Launch Alliance. Imagem: United Launch Alliance/Reprodução

O acoplamento está programado para as 16h06 de sábado. Mas a escotilha da Starliner só será aberta 18 horas depois, às 10h35 de domingo, quando os astronautas a bordo da estação entrarão na espaçonave para uma inspeção.

Quem estará a bordo?

Durante a missão OFT-2 a Starliner não terá tripulação humana. O único “passageiro” será a manequim “Rosie“. Como dados dela já foram colhidos durante a missão OFT-1 em 2019, dessa vez ela servirá basicamente como “peso”, com sensores instalados em assentos e outros locais do veículo.

Um “dispositivo de teste antropomórfico” ou “manequim de voo” apelidado de Rosie the Rocketeer aparece amarrado a um assento na cápsula Starliner da Boeing antes do segundo teste de voo do veículo, programado para lançamento em 30 de julho de 2021. Imagem: Boeing

A espaçonave também levará 180 kg de carga para a ISS, e no retorno deve trazer 250 Kg de materiais, experimentos e equipamentos. Entre a carga estão alguns souvenirs, como flâmulas de 14 colégios e universidades historicamente negros, além de pins prateados com a imagem do personagem Snoopy, que normalmente são dados a astronautas que contribuem diretamente para o sucesso de missões tripuladas.

Também há moedas comemorativas da “Rosie, the Riveter”, personagem criada para incentivar mulheres a participar do esforço industrial dos EUA durante a 2ª Guerra, bandeiras dos EUA e um documento de identificação assinado por Bill Boeing, fundador da Boeing.

O que vem depois?

Se a OFT-2 tiver sucesso, a Nasa e a Boeing irão “procurar oportunidades no final deste ano para voar a primeira missão tripulada da Starliner à Estação Espacial”, disse a Agência Espacial Norte-Americana. 

Astronautas Nicole Mann, Mike Fincke e Chris Ferguson, durante teste da Starliner em setembro de 2019, Imagem: Boeing.

A missão será chamada Crew Flight Test e terá como tripulantes três astronautas veteranos da Nasa: Barry “Butch” Wilmore, Nicole Mann e Mike Fincke. Segundo a Nasa a tripulação ficará no espaço por “vários meses”, mas a agência não especificou se será um período completo de seis meses ou algo mais curto, como a duração de dois meses da Demo-2 da SpaceX.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Tags