As coisas não estão muito boas para o lado da Disney quando o assunto é o filme ‘Viúva Negra’. O novo longa da Marvel estreou simultaneamente nos cinemas e na plataforma de streaming da companhia no dia 9 de julho, há vinte dias. O lançamento nas duas mídias é agora alvo de um processo judicial, movido pela atriz Scarlett Johansson, estrela da película.

Segundo a atriz, esse lançamento simultâneo foi uma quebra de contrato. Ela entrou com uma ação na quinta-feira, no Tribunal Superior de Los Angeles, contra a Disney, alegando a violação do seu contrato com a empresa. Johansson afirma que o documento firmado com a Marvel Entertainment garantia um lançamento exclusivo nos cinemas.

publicidade

Leia mais:

O salário da protagonista de ‘Viúva Negra’ se baseava grande parte no desempenho da bilheteria do filme. “A Disney induziu intencionalmente a quebra do acordo da Marvel, sem justificativa, para evitar que a Sra. Johansson percebesse todos os benefícios de sua barganha com a Marvel”, diz o processo, de acordo com o jornal norte-americano the Wall Street Journal. Ainda segundo a publicação, a Disney não comentou o assunto.

O advogado John Berlinski, que representa Scarlett Johansson, acredita que este não será o último caso em que “talentos de Hollywood enfrentam a Disney”. “Deixam claro que, independentemente do que a empresa possa fingir, tem a obrigação legal de honrar seus contratos”, completou.

Como votar no Olhar Digital no segundo turno do Prêmio Influency.me

A denúncia afirma ainda que os representantes da profissional tentaram renegociar o contrato quando souberam da estratégia de lançamento duplo do filme, nono e último de Johansson na Marvel. Mas, tanto o estúdio quanto a Disney não responderam.

A atriz integra o Universo Cinematográfico Marvel (MCU) desde 2010, quando apareceu pela primeira vez como a Viúva Negra em ‘Homem de Ferro 2’. A personagem morreu em ‘Vingadores: Ultimato’, de 2019. Assim, o filme solo da heroína se passa antes dos eventos daquele filme.

A decisão de disponibilizar o filme no Disney+, inicialmente através do Premier Access, deve custar à atriz mais de US$ 50 milhões (mais de R$250 milhões). Antes mesmo da pandemia de coronavírus, Johansson se preocupava com a possibilidade de ‘Viúva Negra’ acabar no Disney+ como parte do lançamento da plataforma. Assim, em 2019, os representantes dela já teriam buscado garantias da estreia exclusiva nos cinemas.

O processo será uma baliza para a indústria do entretenimento, já que muitas das companhias estão priorizando grandes lançamentos nos serviços de streaming. A alteração tem grandes implicações financeiras tanto para os atores e atrizes quanto para produtores, que querem garantir que o crescimento das plataformas não aconteça às suas custas, reforça o jornal.

Viúva Negra
‘Viúva Negra’ estreou no dia 9 de julho. Imagem: Marvel Studios/Divulgação

Os lançamentos simultâneos da Disney nos cinemas e no Disney+ começaram, parcialmente, por causa da pandemia da Covid-19, que levou ao fechamento dos cinemas ou redução da capacidade. Concomitante a isso, a companhia do Mickey Mouse viu a oportunidade de impulsionar seu serviço online.

A WarnerMedia, dona do serviço HBO Max, por exemplo, segue uma estratégia parecida, mas decidiu renegociar muitos dos contratos que, como o de Scarlett Johansson, estavam ligados ao desempenho das bilheterias. A empresa chegou a pagar mais de US$ 200 milhões (mais de R$ 1 bilhão) como parte das alterações.

No fim de semana de estreia, ‘Viúva Negra’ arrecadou US$ 80 milhões na bilheteria norte-americana e US$ 78 milhões no restante do mundo, além de gerar mais US$ 60 milhões via Premier Access do Disney+. Logo em seguida, as ações da empresa subiram com o detalhamento dos rendimentos do filme. Mas o desempenho nos cinemas caiu nos dias subsequentes de forma acentuada.

Resposta firme

Em nota, um porta-voz da Disney defendeu que não há mérito no processo e usou palavras duras para criticar a ação movida por Scarlett Johansson. Segundo o representante, o processo é triste e angustiante, além de uma demonstração de desrespeito pelos efeitos globais prolongados ocasionados pela pandemia da Covid-19.

Confira mais detalhes sobre o posicionamento da Disney na reportagem do Olhar Digital!

Via: The Wall Street Journal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!