A gigante do varejo Amazon foi multada em 746 milhões de euros (cerca de R$ 4,5 bilhões) na União Europeia por ter quebrado as regras da GDPR, a lei geral de proteção de dados local.

A penalização foi aplicada há duas semanas pela Comissão Nacional de Proteção de Dados de Luxemburgo (CNPD), país onde está localizada a sede europeia da varejista, no entanto, a empresa só divulgou o valor da infração nesta sexta-feira (30).

publicidade

A multa aplicada à companhia fundada por Jeff Bezos é a maior já registrada por sanções do tipo na União Europeia. Até então, o posto era ocupado por uma multa de 50 milhões de euros imposta ao Google em 2019.

Bandeira da União Europeia
Amazon recebe a maior multa da história da União Europeia por violar a proteção de dados. Créditos: Shutterstock

De acordo com o órgão regulador que sancionou a punição, a Amazon não está realizando o processamento de dados pessoais da maneira correta.

Em um comunicado enviado à agência de notícias Bloomberg, a Amazon informou que discorda da decisão do órgão regulador e deve recorrer. A companhia ressaltou ainda que “não houve violação de dados e nenhuma informação de clientes foi exposta a terceiros”.

“A decisão sobre como mostramos aos clientes publicidade relevante depende de interpretações subjetivas e não testadas da lei de privacidade europeia, e a multa proposta é totalmente desproporcional mesmo com essa interpretação”, concluiu.

Leia também!

O valor da multa representa cerca de 4,2% do lucro líquido da Amazon em 2020, que foi de US$ 21,3 bilhões, e 0,2% da receita total da companhia que é de, aproximadamente, US$ 386 bilhões.

A União Europeia permite que os órgãos reguladores apliquem multa de até 4% do valor de faturamento anual de uma empresa.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!