Organizações de defesa dos direitos das mulheres se posicionaram sobre o processo de Scarlett Johansson contra a Disney. Pelo menos três dos principais grupos de Hollywood enviaram comunicados protegendo a atriz. Women in Film, ReFrame e Time’s Up criticaram o estúdio pelo seu posicionamento.

“Nós nos posicionamos firmemente contra a recente tentativa da Disney de caracterizar Johansson como insensível ou egoísta por defender seus direitos contratuais”, diz um trecho da nota divulgada em conjunto pelas três entidades.

publicidade

“Esse ataque machista não tem lugar em uma disputa de negócios e contribui para ambiente em que mulheres e garotas são vistas como menos capazes que os homens de proteger seus próprios interesses sem serem criticadas”, completou ainda.

Entenda o caso da Scarlett Johansson contra a Disney

novo longa da Marvel estreou simultaneamente nos cinemas e na plataforma de streaming da companhia no dia 9 de julho, há vinte dias. O lançamento nas duas mídias é agora alvo de um processo judicial, movido pela atriz Scarlett Johansson, estrela da película.

Segundo a atriz, esse lançamento simultâneo foi uma quebra de contrato. Ela entrou com uma ação na quinta-feira, no Tribunal Superior de Los Angeles, contra a Disney, alegando a violação do seu contrato com a empresa. Johansson afirma que o documento firmado com a Marvel Entertainment garantia um lançamento exclusivo nos cinemas.

O salário da protagonista de ‘Viúva Negra’ se baseava grande parte no desempenho da bilheteria do filme. “A Disney induziu intencionalmente a quebra do acordo da Marvel, sem justificativa, para evitar que a Sra. Johansson percebesse todos os benefícios de sua barganha com a Marvel”, diz o processo, de acordo com o jornal norte-americano the Wall Street Journal. Ainda segundo a publicação, a Disney não comentou o assunto.

O advogado John Berlinski, que representa Scarlett Johansson, acredita que este não será o último caso em que “talentos de Hollywood enfrentam a Disney”. “Deixam claro que, independentemente do que a empresa possa fingir, tem a obrigação legal de honrar seus contratos”, completou.

Em nota, um porta-voz da Disney defendeu que não há mérito no processo e usou palavras duras para criticar a ação movida por Scarlett Johansson. Segundo o representante, o processo é triste e angustiante, além de uma demonstração de desrespeito pelos efeitos globais prolongados ocasionados pela pandemia da Covid-19.

Confira mais detalhes sobre o posicionamento da Disney na reportagem do Olhar Digital!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!