O fundador da montadora de caminhões elétricos Nikola, Trevor Milton, foi acusado de fraude ao montar veículos que têm sido chamados de “Frankenstein” por procuradores de justiça dos Estados Unidos. Segundo as autoridades, a intenção da empresa seria enganar investidores sobre seus avanços tecnológicos e elevar os preços de suas ações no mercado financeiro.

Imagem promocional de um caminhão da Nikola
Procuradores acusam o fundador da empresa de tentar manipular o valor das ações da empresa. Crédito: Nikola/Divulgação

Trevor Milton é acusado de afirmar que a Nikola havia fabricado com sucesso protótipos funcionais de caminhões elétricos e picapes que teriam o potencial de mudar o patamar do mercado de veículos elétricos de grande porte. “Milton mentiu para gerar uma demanda popular por suas ações”, declarou a procuradora do Distrito Sul de Nova York, Audrey Strauss.

publicidade

Milton nega acusações

Os promotores disseram que durante os eventos públicos de demonstração, os caminhões da Nikola foram rebocados para suas posições e alimentados por plugues que saíam de tomadas que estavam escondidas na parede. Trevor Milton pediu demissão da empresa que ele mesmo fundou em setembro do ano passado após descobrir que estava sendo investigado por fraude.

Trevor Milton na frente de caminhões da Nikola
Trevor Milton não está mais na Nikola desde de setembro do ano passado. Crédito: Reprodução/LinkedIn

Na ocasião, o empresário escreveu em seu Twitter que o afastamento estava se dando para que ele pudesse se defender do que chamou de “falsas alegações”. Segundo os promotores responsáveis pela investigação, Milton foi levado sob custódia na última quinta-feira (29), mas foi libertado após pagar uma fiança de US$ 100 milhões (cerca de R$ 520 milhões).

Em nota, o advogado do fundador da Nikola, Marc Mukasey, disse que Trevor Milton é inocente e foi acusado injustamente e chamou a investigação de falha e incompleta. Já a Nikola, tirou o corpo fora e disse que a acusação era contra Milton, não contra a empresa, e ressaltou que o fundador está afastado da empresa desde o ano passado.

Gato por lebre

A principal acusação é de que Milton apresentou dados exagerados sobre o desenvolvimento tecnológico atingido pela empresa. Segundo ele, a montadora havia conseguido construir protótipos funcionais da caminhonete Nikola One e também da picape Badger, ambas com peças que a empresa havia fabricado por conta própria.

Trevor Milton teria construído um “monstro Frankenstein” para convencer que seu caminhão funcionava

Para dizerem que os protótipos estavam funcionando perfeitamente, um dos modelos foi rebocado até o topo de uma ladeira, e depois rolado até de volta ao ponto mais baixo durante uma apresentação. Segundo os promotores, a intenção de Milton seria de dizer aos potenciais investidores que o carro era dirigível.

Leia mais:

No entanto, segundo a investigação, os protótipos não funcionavam e eram “monstros Frankenstein”, montados com peças de outros veículos. Em um dos casos, quando foi gravado um filme promocional da empresa, foi usada uma fita adesiva para impedir que as portas de um protótipo de caminhão se abrissem e mostrassem a gambiarra.

Com informações do Market Watch

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!