Neste mês de agosto teremos o teste de uma nova espaçonave, a chuva dos meteoros Perseidas, as oposições de Júpiter e Saturno, que ficarão excepcionalmente brilhantes no céu, e até mesmo uma Lua “Azul”.

Veja abaixo nosso calendário astronômico de agosto com os eventos mais importantes. Lembramos que todas as datas, horários e referências geográficas consideram um observador baseado em Brasília, e podem ser ligeiramente diferentes de acordo com sua posição no país.

publicidade

Calendário astronômico de agosto

2 de agosto: Saturno em oposição. O “planeta dos anéis” estará diretamente oposto ao Sol, no mesmo momento em que estará mais próximo da Terra neste ano. Isto significa que esta será sua maior e mais brilhante aparição no céu neste ano. O astro será visível sobre o horizonte a leste, a partir do pôr do sol, e atingirá seu ponto mais alto no céu por volta da meia-noite.

3 de agosto: lançamento da Starliner OFT-2 (Orbital Fight Test-2, Teste de Voo Orbital-2), segunda tentativa da Boeing de enviar sua espaçonave em uma missão não tripulada à Estação Espacial Internacional (ISS). A decolagem, a partir do Complexo de Lançamento 41 da Estação da Força Espacial em Cabo Canaveral, na Flórida, nos EUA, está prevista para as 14h20 e será transmitida ao vivo no Olhar Digital. O acoplamento à ISS está previsto para pouco mais de 24 horas depois, às 14h37 desta quarta-feira (4).

10 de agosto: lançamento de um foguete Antares da Northrop Grumman com a missão de reabastecimento Cygnus NG-16 à Estação Espacial Internacional. A espaçonave foi nomeada em homenagem a Ellison Onizuka, primeiro astronauta asiático-americano a ir ao espaço. A decolagem está prevista para as 18h55 a partir da Wallops Flight Facility na ilha Wallops, Virgínia, nos EUA.

Também em 10 de agosto um foguete Falcon 9 da SpaceX irá lançar outro lote de satélites Starlink, partindo da Base da Força Espacial de Vandenberg, na Califórnia, nos EUA.

11 de agosto: conjunção entre a Lua e Vênus. O planeta aparecerá acima e à direita da Lua a partir do pôr do sol. Olhe para o oeste.

Leia mais:

11 a 12 de agosto: pico da chuva dos meteoros Perseidas, que ocorre anualmente entre meados de julho até o final de agosto. Ela será visível a partir da 01h40, quando a constelação de Perseus surgirá no horizonte ao noroeste. Mas o melhor momento para observar o fenômeno é pouco antes do amanhecer, quando a constelação estará no ponto mais alto no céu. Sob condições ideais, ou seja, céu limpo e em um local livre de poluição luminosa, o site In the Sky estima que será possível observar até 44 meteoros por hora.

15 de agosto: Um foguete Vega, da Arianespace, irá lançar o satélite de observação terrestre Pleiades Neo 4 para a Airbus. A missão irá decolar do Espaçoporto da Guiana perto de Kourou, na Guiana Francesa, às 22h50.

19 de agosto: Júpiter em oposição. O gigante gasoso estará diretamente oposto ao Sol, ao mesmo momento em que estará mais próximo da Terra neste ano. Ou seja, esta é a ocasião em que ele estará maior e mais brilhante em nosso céu. O planeta poderá ser visto durante toda a noite, olhe para o oeste a partir do pôr do sol.

20 de agosto: a Arianespace irá usar um foguete Soyuz russo para lançar 34 satélites em órbita para a constelação de internet OneWeb. A missão, chamada OneWeb 9, irá decolar do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Ilustração do planeta Saturno
Agosto é o mês em que Saturno estará maior e mais brilhante no céu. Imagem: Nasa / Hubble

Também em 20 de agosto haverá uma conjunção entre a Lua e Saturno. O planeta estará bem perto da Lua, à esquerda, a partir do pôr do sol. Olhe para o Leste.

22 de agosto: a Lua Cheia de agosto será uma “Lua Azul”, que tem esse nome por ser a terceira de uma estação com quatro luas cheias. Ao mesmo tempo, ocorrerá a conjunção entre a Lua e Júpiter. O planeta estará quase que diretamente acima da Lua, olhe para o Leste.

Como se orientar

Para acompanhar nosso calendário astronômico, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Apps como o Sky Safari são essenciais para acompanhar nosso calendário astronômico
O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!