Nesta terça-feira (3), uma organização de mídia estatal chinesa publicou uma reportagem que criticava games on-line, pedindo restrições extras à indústria para evitar que as crianças se viciem. O artigo, que comparou os jogos ao ópio pela capacidade de fisgar o público infantil, fez com que gigantes locais do ramo – como Tencent e NetEase – despencassem no mercado acionário.

A coluna publicada pelo jornal Economic Information Daily é parte de um esforço de anos do governo chinês para impedir que as crianças gastem todo o seu tempo e dinheiro em artigos de videogames – incluindo consoles, jogos, acessórios e etc. Em determinado trecho do texto, foi citada a história de um estudante que, junto a alguns de seus colegas de escola, jogavam ‘Honor of Kings’ – um dos títulos mais populares da Tencent – oito horas por dia. “Para a próxima etapa, deve haver controles mais rígidos sobre a quantidade de tempo que os menores jogam on-line. Deve ser muito reduzido – e de forma imediata – em relação ao nível atual”, dizia o artigo, traduzido pela NBC.

publicidade
Tencent videogame
Tencent despenca no mercado acionário após veículo de comunicação estatal comparar videogames a vício em drogas. Imagem: Tada Images / Shutterstock.com

Curiosamente, após toda a repercussão causada, a matéria foi excluída por algumas horas antes de ser republicada com uma nova manchete e sem qualquer menção à ópio ou drogas. Atualmente, no entanto, a polêmica coluna parece ter sido excluída por completo e não está claro se voltará à web. Todavia, se o objetivo era estimular mais restrições à indústria de jogos, o artigo já foi bem-sucedido…

A Tencent anunciou que irá limitar ainda mais o tempo de jogatina para menores na China: apenas uma hora durante a semana e não mais do que duas horas durante férias e feriados. As medidas vão além das restrições impostas em 2019 pela agência que regula o departamento de games no país. A gigante de tecnologia ainda planeja permitir compras de jogos somente para maiores de 12 anos. Como ação mais drástica, a empresa abordou também possibilidade de o setor proibir totalmente videogames para menores de 12 anos, sem dar mais detalhes.

A ação da Tencent chegou a cair 11% nesta terça antes de recuperar parte das perdas e fechar em baixa de 6%. Ações de investidores da empresa, como Naspers e Prosus, também se desvalorizaram, enquanto Nintendo e Capcom perderam terreno acionário em Tóquio, no Japão.

Leia mais:

A rapidez dos acontecimentos aciona um alerta quanto à preocupação de que o governo chinês possa focar sua atenção em uma arena fundamental para os resultados financeiros de gigantes de mídia como Tencent, Apple e Activision Blizzard. E mais: muitos desenvolvedores europeus e estadunidenses de jogos estrangeiros começam a acompanhar o caso de perto, visto que têm acordos de licenciamentos com publishers e desenvolvedoras chinesas para lançar os títulos no país.

Fontes: Futurism e NBC News

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!