Ao longo dos anos, avanços significativos na pesquisa do câncer levou a humanidade para a próxima etapa na terapia do câncer: vacinas. No entanto, o uso direto dessas vacinas nos indivíduos afetados muitas vezes não produziu os efeitos desejados. 

Uma das razões para esta falha é a falta de distribuição direcionada às células tumorais. Além de que, na fase da pesquisa do câncer na qual os cientistas estão atualmente concentrando seus esforços é – justamente – encontrar veículos apropriados para a entrega de vacinas contra o câncer.

publicidade

Os veículos de administração de vacinas contra o câncer baseados em nanomateriais estão em desenvolvimento há muitos anos. Apesar de vários avanços nesta pesquisa, ainda há um longo caminho a percorrer antes que essa tecnologia se torne clinicamente disponível. Para facilitar esse processo, consolidar todas as pesquisas disponíveis sobre veículos de distribuição de vacinas contra o câncer é a necessidade da hora.

O Dr. Jie Liang e o Dr. Xiao Zhao, do Centro Nacional de Nanociência e Tecnologia da China e Universidade da Academia Chinesa de Ciências escreveram uma revisão abrangente sobre os diferentes tipos, prós e contras dos veículos de entrega disponíveis. 

Os autores classificaram os veículos de entrega em quatro categorias principais: lipídios, polímeros, inorgânicos e bioinspirados. Portanto, os veículos à base de lipídios, que compreendem lipossomas, são capazes de assumir uma forma esférica estável após encapsular o antígeno. 

Isso porque eles são vantajosos devido às suas semelhanças com a membrana celular, facilitando assim uma melhor absorção da vacina na área-alvo. Os veículos baseados em polímeros e oferecem mais opções, como entrega sintéticos ou de origem natural, sendo ajustáveis ​​às propriedades bioquímicas exigidas. 

Leia mais:

Além disso, foi demonstrado que as vacinas de base inorgânica suportam o agravamento dos componentes bioquímicos do sistema imunológico, o que aumenta o efeito anticâncer. Alguns exemplos incluem estruturas de sílica, ouro e óxido de ferro. Explicando ainda mais o efeito dos veículos de entrega de base inorgânica, o Dr. Zhao, que é o autor correspondente da revisão, disse: “Em geral, estratégias de entrega de base inorgânica devem ser usadas para garantir o enriquecimento e o tempo de retenção de antígenos na circulação linfática , onde a eficácia imunológica é induzida e, em seguida, aumentada “

Ainda mais perto estão os veículos de entrega bioinspirados, que imitam as células do próprio corpo ou invasores como bactérias e vírus para conseguir a entrega segura e específica da vacina contra o câncer. Além disso, esses veículos têm a capacidade de atuar como adjuvantes e podem aumentar a ativação imunológica.

No geral, os autores estão esperançosos de que isso encoraje outros pesquisadores a abordar as deficiências dos veículos de entrega de câncer disponíveis, portanto, realizando um sistema de entrega de vacina eficaz direcionado ao tumor, com os benefícios terapêuticos e profiláticos necessários. 

Fonte: Medical Xpress

á assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!