Após uma grave denúncia de abuso sexual postada na intranet da Alibaba no último sábado (7), a gigante chinesa anunciou a demissão imediata de um gerente envolvido, além da adoção de políticas de prevenção ao assédio.

A denúncia continha 11 páginas e relatava o abuso praticado pelo gerente e por um cliente da empresa. A vítima ainda afirmou que procurou superiores e o setor de recursos humanos, mas nada foi feito e o assunto não foi levado a sério.

publicidade
Fachada da empresa chinesa Alibaba
Alibaba demite executivo acusado de abuso sexual. Imagem: testing/Shutterstock

Os funcionários formaram, então, um grupo com mais de 6 mil participantes para debater o assunto e exigir que a companhia de e-commerce tomasse medidas. Além disso, os funcionários passaram a questionar a política e cultura interna da Alibaba.

O presidente da companhia, Daniel Zhang, informou em comunicado que o gerente fazia parte da unidade de entrega de mercearia Neighborhood Retail e já foi demitido e “nunca será recontratado”.

Segundo o executivo, o ex-funcionário se envolveu em “atos íntimos” enquanto a vítima estava embriagada.

Em sua denúncia, a vítima relata que foi forçada pelo gerente a ingerir bebidas alcoólicas. Zhang garantiu que a Alibaba é contra qualquer tipo violência, especialmente assédio e abuso sexual.

Segundo o jornal The New York Times, Zhang também disse que outros dois gerentes seniores renunciaram ao cargo por não terem tomado medidas imediatas quando a funcionária denunciou o caso.

A diretora de recursos humanos, Judy Tong, também receberá uma punição pela forma como a empresa lidou com o fato.

Leia também!

O presidente da companhia ainda informou que todos os funcionários da Alibaba vão receber treinamento para evitar qualquer situação de abuso ou assédio sexual. “Este caso é uma humilhação para todos os funcionários da Alibaba. Precisamos reconstruir e mudar”, completou.

O caso está sendo investigado pela polícia local.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!