Mesmo quem não é especialista ou está por dentro das últimas notícias de mercado já deve ter ouvido falar das criptomoedas. Mas, o que é uma criptomoeda? Basicamente, se trata de um recurso financeiro 100% digital, ou seja, é uma moeda que não é emitida por nenhum governo.

Esses ativos funcionam como o dinheiro físico, servindo para diversos fins. Com o seu crescimento em popularidade devido às frequentes altas (e também baixas), não dá para negar que as moedas digitais estão chamando a atenção de muita gente.

publicidade
Criptomoedas
Veja cinco criptomoedas que devem movimentar o mercado em 2021.
Foto: Wit Olszewski/Shutterstock

Agora que você já sabe resumidamente o que é e para que serve uma criptomoeda, listamos cinco nomes que o analista de mercado Aaron Arnold (do canal Altcoin Daily) recomenda para ficar de olho ao longo dos próximos meses.

Bitcoin, a moeda digital mais famosa

Apesar da alta volatilidade, o especialista afirma que o bitcoin deve continuar atraindo investidores. Arnold também indica que a média móvel de crescimento da rede de usuários do bitcoin atingiu um novo recorde nos últimos sete dias e que “há uma forte acumulação em andamento”, finaliza, ao comparar o cenário atual da criptomoeda com o de recuperação registrado em 2017.

Ethereum, a segunda maior no ranking de capitalização de mercado

Arnold afirma que o ativo enfrenta uma crise de oferta. O ethereum (ETH), um dos principais nomes do mercado, passou recentemente por uma atualização que influenciará diretamente no seu valor de mercado.

A mudança, basicamente, deve mudar a política monetária do ethereum para melhor. Agora, segundo Arnold, um pouco do criptoativo será “queimado”, causando menos oferta conforme a demanda aumenta.

Segundo Arnold, 10.55 ETH estão sendo destruídos a cada 60 segundos, o que pode contribuir no futuro para uma explosão no valor da moeda digital.

Leia mais:

Aave, elrond e ecomi

O especialista aponta que a aave (AAVE), uma plataforma de empréstimo descentralizada que visa atrair o agronegócio para sua plataforma, também deve seguir aumentando em popularidade.

Um de seus objetivos é oferecer uma alternativa aos bancos tradicionais, com taxas de juros mais baixas. Os contratos baseados em aave substituem, por exemplo, a necessidade de um intermediário nas negociações de ativos.

Já a criptomoeda elrond (EGLD), está se tornando o primeiro ativo digital da Europa livre de emissão de carbono. A ideia é garantir que cada transação executada em sua rede tenha efeitos positivos no meio ambiente.

Por fim, o último nome da lista é a ecomi (OMI), um token usado para transações na plataforma de NFTs VeVe. A rede vende colecionáveis limitados em formato ​​digital e se prepara para lançar NFTs da Marvel no fim de agosto – o que pode movimentar o interesse pelo ecomi.

Vale destacar que, só no último trimestre fiscal, as moedas virtuais movimentaram o equivalente a US$ 4,4 bilhões. Para muitos especialistas no tema, 2021 pode ser considerado como “o ano das criptomoedas”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!