O Bennu, um asteroide com mais de 300 metros de comprimento, tem uma pequena chance de colidir com a Terra. No entanto, essa colisão não deve acontecer tão cedo e será um problema para uma geração futura, que está bem distante da nossa. De acordo com os pesquisadores da Nasa, a chance é de 1 em 1.750 entre agora e o ano 2.300. 

A estimativa é um pouco mais pessimista do que a anterior, que apontava para 1 em 2.700 entre agora e o ano 2.200. Porém, essa não é uma mudança significativa e as chances de impacto continuam bastante remotas, de acordo com os cientistas do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa na Califórnia (JPL). 

publicidade

Todavia, a trajetória do Bennu é bastante conhecida, por isso os cientistas da Nasa sabem que as chances de colisão do asteroide com a Terra são nulas no próximo século. Porém, a trajetória da rocha fica mais preocupante lá em 2135. Neste ano, Bennu chegará bem perto da Terra e passará a cerca de 200 mil quilômetros daqui, metade da distância entre a Terra e a Lua.

Distância exata

Neste ponto, a distância exata se torna um ponto crucial, isso porque a gravidade da Terra atrairia Bennu quando ele passasse. Caso ele passe em uma distância particular em um determinado momento, ele seria enviado em uma trajetória que poderia resultar em uma colisão com a Terra dentro de mais ou menos meio século.

As estimativas apontam o dia 24 de setembro de 2182 como o mais preocupante de todos, embora a chance de este ser um dia ruim seja de apenas 0,037%. Apesar de ser comprido, Bennu não é muito largo, com apenas meio quilômetro de largura, o que não é suficiente para causar uma extinção de dimensões globais, mas pode causar uma devastação bastante considerável.

Osiris-Rex

osiris-rex bennu
Imagem da superfície de Benu feita pela Osiris-Rex. Imagem: NASA/Divulgação

Para chegar a essas estimativas, os cientistas da Nasa contam com os dados da espaçonave Osiris-Rex, que pousou em Bennu em 2020 e estudou o asteroide de perto. A espaçonave deixou Bennu há cerca de três meses e agora está voltando para a Terra para trazer amostras de rocha e poeira coletadas do asteroide para estudos laboratoriais detalhados.

Leia mais:

Segundo a Nasa, o perigo real de sermos atingidos por um asteroide vem de rochas ainda não vistas. De acordo com o oficial de defesa planetária da Nasa, Lindley Johnson, cerca de 40% dos asteroides do tamanho de Bennu que estão relativamente próximos da Terra ainda não foram encontrados.

Com informações do The New York Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!