Além de acumular alta de 145% após a contratação do craque Lionel Messi, a criptomoeda do Paris Saint-Germain também foi utilizada como forma de pagamento no contrato milionário. O jogador recebeu “fan tokens” PSG no pacote financeiro, os mesmos que são comercializados com torcedores por meio da plataforma Socios.com.

Trata-se da moeda digital Chiliz, que está no auge e faz parte dos projetos do bilionário Nasser Al-Khelaifi, proprietário do clube francês. 

publicidade

Apesar de não divulgar a quantidade de tokens como parte do pagamento do contrato, especula-se que seja algo em torno de 40 milhões de euros por ano. 

O PSG se limitou a informar que o acordo com o jogador argentino prevê um grande número de “fan tokens”, sendo mais um estímulo para vender a criptomoeda mundo afora. 

Leia mais:

Entenda o que são os tokens PSG 

Os “fan tokens” são ativos desenvolvidos em blockchain e operados pela startup socios.com. Com eles, os admiradores do clube podem inclusive votar em decisões internas do Paris Saint-Germain.  

Os tokens foram lançados em fevereiro de 2020 em uma parceria com a Socios, tendo o melhor momento ao longo dessa semana justamente por conta da contratação do jogador que já foi eleito seis vezes o melhor do mundo. 

Além disso, o fato de Messi só ter defendido o Barcelona anteriormente transformou o negócio em uma explosão de investimentos. Somente em um dia, segundo o site CoinGecko, os tokens PSG chegaram a ter um volume negociado de US$ 300 milhões. 

A contratação de Messi foi um verdadeiro gol de placa do PSG; somente as negociações de criptomoedas do clube já ultrapassam US$1,2 bilhão. Imagem: Reprodução Twitter PSG

De acordo com o PSG, o volume total desde a contratação do craque já ultrapassa US$ 1,2 bilhão. Nesta quinta-feira (12), um token PSG está sendo vendido a US$ 40. Ele está listado em diversas corretoras cripto, incluindo Binance e Upbit Korea. 

“Aderir completamente à Socios.com e aos Fan Tokens PSG provou ser um grande sucesso para o clube”, disse o diretor de parcerias do Paris Saint-Germain, Marc Armstrong. “Conseguimos interagir com uma nova audiência global, gerando um considerável fluxo de receitas digital”, afirmou. 

Além do PSG, mais de 50 clubes já aderiram às criptomoedas. Entre eles, estão Barcelona, Juventus, Manchester City, Arsenal e AC Milan.  

Via: Money Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!