A SpaceX pode executar o primeiro voo orbital da espaçonave Starship dentro de algumas semanas, segundo afirmou o CEO da empresa, Elon Musk, pela sua conta oficial no Twitter. As palavras do executivo pegaram a comunidade de surpresa, já que a estimativa de tempo posicionada por Musk é bem mais antecipada do que esperavam.

No último dia 6, a SpaceX montou a Starship junto ao seu foguete Super Heavy (e mais de 30 motores de propulsão Raptor) para fins de ensaios fotográficos, mas nos dias seguintes, a dupla foi “horizontalizada” – ou seja, retirada da plataforma de lançamento e reposicionada em seu galpão de construção, para remoção de ladrilhos possivelmente defeituosos e também de retirada dos motores.

publicidade

Leia também

Em ambos os casos – Starship e Super Heavy -, a SpaceX está promovendo revisões e a finalização de alguns processos menores (especificamente, partes secundárias da fiação aviônica e encanamento). Enquanto isso, os motores Raptor foram removidos e separados, para que possam ser testados quanto à resistência criogênica.

A estimativa de tempo de Elon Musk pode ser um indício de que a SpaceX esteja propositalmente “pulando” alguns testes mais comuns – seja por não julgá-los necessários ou por entender que potenciais problemas valham o risco. Isso porque, ao longo de julho e agosto, a empresa montou estruturas de avaliação de estresse: além dos testes criogênicos, também vimos a montagem de estruturas que simulam o impacto de reentrada e choque.

Mas da mesma forma em que foram rapidamente montadas, tais estruturas foram rapidamente desmontadas. Fora que esse tipo de avaliação costuma levar mais do que “algumas semanas” para ser completada para um único veículo – a SpaceX teria dois (espaçonave e foguete).

O problema: a FAA (ou “Administração Federal de Aviação” na tradução do inglês). O corpo regulatório do governo dos Estados Unidos deveria, no melhor cenário possível, emitir todas as licenças e permissões da SpaceX – incluindo as ambientais e a de certificação de segurança da plataforma de lançamento – em tempo recorde. Mesmo assim, não há como “as próximas semanas” garantirem o lançamento da Starship. Só essa documentação da FAA leva no mínimo 30 dias para ser emitida.

Em outras palavras, é pouco provável que vejamos a estreia orbital da Starship antes da segunda quinzena de setembro – e isso, de novo, é no panorama mais favorável, porque nada impede a FAA de forçar a SpaceX a refazer todos os testes, incluindo os que ela pode estar pulando, a fim de garantir a segurança do projeto.

Por ora, há apenas a possibilidade do conjunto da Starship e o foguete Super Heavy voltarem – montados – à plataforma de lançamento ainda hoje (16), mas isso ainda não é confirmado. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!