Após o recente movimento #FixMaddenFranchise, (“conserte a franquia Madden”, na tradução literal do inglês) a EA Sports assumiu o compromisso de melhorar as novas versões da aclamada série de jogos simuladores de futebol americano. Afinal, venhamos e convenhamos: ano após ano, era o mesmo título com melhorias quase imperceptíveis e mais bugs do que novidades. Em primeira mão, já digo: se espera algo revolucionário de ‘Madden NFL 22’, esqueça. O game equilibra a renovação de poucos modos e melhoria em acessibilidade com, bem, os mesmos erros de sempre…

No geral, os maiores acertos da nova versão são os modos “Franchise” (quase uma master league da NFL) e “Face Of The Franchise” (que mistura tons de “Rumo ao Estrelato” com o “Jornada”, de ‘FIFA’), nos quais os players podem fazer a gestão de carreira do próprio time ou do jogador – independentemente da posição. Algumas melhorias já haviam sido notadas ao longo da vida útil de ‘Madden 21’, mas foi realmente neste ano que certos patamares mais altos foram alcançados ao trazer boas narrativas alinhadas às simulações de gestão mais estratégicas da modalidade.

publicidade
review madden nfl 22
‘Madden NFL 22’ equilibra poucas novidades com, bem, “mais do mesmo”. Imagem: EA Sports/Divulgação

O “Franchise Mode” inclui alguns novos recursos para os jogadores. O gerenciamento de equipe apresenta um sistema de progressão mais coordenado das árvores de habilidades, definição de estratégia semanal mais bem aprimorada para cada membro ou equipe como todo, planos de jogo mais objetivos e etc. Parece complicado a princípio, mas o modo é prático e acessível até mesmo para quem não é expert futebol americano e NFL, tendo opções de escolhas simples e detalhadas para levar quem está jogando a formar um “time campeão”.

Já “Face of the Franchise” é a experiência single player mais divertida do jogo, se não a melhor, além de ser o modo que melhor funciona um tutorial ou treino para quem nunca jogou o game. A premissa é simples: monte o próprio personagem (que está no fim da faculdade) e escolha o time que ele irá representar. Logo em diante, assuma o controle daquilo que pode ou não ser uma carreira de sucesso na maior liga do esporte em todo o mundo.

Claro, o maior peso narrativo da história está no começo da trajetória do herói – que pode jogar na posição que preferir, como quarterback, runningback ou wide receiver. Conforme o jogador avança na história, a trama fica mais automática e dedicado apenas ao gameplay, porém há um charme na simplicidade didática do modo, que é o único a ensinar comandos básicos antes de desafiar a equipe do jogador contra, por exemplo, o New England Patriots.

review madden nfl 22
Seja um aspirante a ídolo da NFL em ‘Face of The Franchise’, modo mais legal de ‘Madden NFL 22’. Imagem: EA Sports/Divulgação

Os diálogos entre o protagonista e os personagens secundários em sua volta, como uma dedicada agente iniciante e um “melhor amigo” social media, funcionam de maneira interessante para definir novas habilidades a serem adquiridas pelo jogador ou simplesmente para dar sequência na carreira – algo que a EA sabe fazer bem desde o ‘FIFA 17’, com Alex Hunter, ou com Aiden Jackson, em ‘F1 2021’. Seja com o Superstar X Factor ou outras skills adquiridas, o player sempre terá certeza do resultado prático das ações tomadas.

Infelizmente, as cenas fora dos estádios apenas trazem efeito no gameplay, porém são bastante sem sal e “engessadas”, repleta de bugs e downgrade nos gráficos – talvez o pior que a engine Frostbite 3 possa proporcionar. Não me leve a mal: ‘Madden NFL 22’ é impressionante visualmente nos consoles da nova geração (PS5 e Xbox Series X/S), ainda mais com os novos recursos do Dynamic Gameday – tecnologia que se une à inteligência artificial do jogo para oferecer diferentes vantagens de estádio em casa e novas mecânicas de impulso, bem como afetar o desempenho dos jogadores em campo conforme estão indo bem ou mal na partida.

Porém, só isso basta? Salvo a simulação das partidas em si e recursos mais acessíveis, a EA parece não ter se preocupado em trazer novidades visíveis e notáveis aos jogadores. E o pior: os únicos recursos de certa forma “tentadores” estão fora do alcance dos players da geração passada (PS4 e Xbox One). Como resultado, a jogabilidade soará mais básica do que o normal, algo que os fãs da série irão apontar, infelizmente, como “mais do mesmo”.

review madden nfl 22
‘Face of The Franchise’ e Franchise Mode’ são consistentes e bacanas, mas não salvam jogo da mesmice. Imagem: EA Sports/Divulgação

‘Madden NFL 22’ ainda traz o retorno do “The Yard” (vulgo “Street” e “Volta” do jogo de futebol americano), mas agora com uma nova campanha baseada em desafios e integração com o avatar de “Face of the Franchise”. Com uma “pegada” mais urbana e descontraída e que traz um clima descontraído ao game, o modo é bacana e tem intenções nobres, porém não é divertido o suficiente ao ponto dos players passarem horas jogando – fadado, provavelmente, a uma opção casual raramente utilizada.

Já o “Ultimate Team” é. Exatamente. A. MESMA. COISA. De ‘Madden NFL 21’, apenas com o layout do menu muito mais acessível que permite aos jogadores acompanharem os objetivos de forma mais prática. De novo: não me leve a mal. Diferente de ‘FIFA’, o modo aqui tem uma experiência mais lúdica com desafios curtos e simples, diminuindo um pouco a mesmice de jogar o início e que, no geral, funciona bem, mas a nova versão do título não traz absolutamente nada em quesito novidade. Contudo, caso prefira abrir a carteira para muitas microtransações, sinta-se à vontade!

‘Madden 22’ sabe ser um bom simulador, mas apenas para fãs de NFL

review madden nfl 22
Novo jogo da franquia ‘Madden’ não faz touchdown, mas é capaz de divertir. Imagem: EA Sports/Divulgação

Apesar da constante e aleatória perda de qualidade gráfica, fora os bugs, jogar uma partida de futebol americano em ‘Madden NFL 22’ é muito legal e divertido. Diferente de outras franquias de games de esportes da EA Sports que focam no coletivo, como ‘FIFA’, ou na soma dos fatores que te levam a acelerar na pista, tal qual ‘F1’, o título encontra na estratégia polida e em comandos fáceis a fórmula de um bom simulador, mas que poderia ser melhor do que é.

Seja em partidas de quase em tempo real (60 minutos) ou em fast plays (cerca de 20 minutos), o jogo força o pensamento de quem está com o controle na mão para decidir qual será o movimento a seguir. Claro, na maioria das vezes furar o bloqueio da linha ofensiva para conseguir um sack ou forçar um passe errado é mais legal do que focar em uma zona do campo marcada ou sair correndo atrás do WR adversário, mas o game é esperto o bastante ao fornecer antes de cada partida opções de atuar somente na defesa ou no ataque.

Jogo segregacionista? ‘Madden NFL 22’ é 100% em inglês e é focado apenas em experts. Imagem: EA Sports/Divulgação

Quer uma dica? Tente aprender a jogar em ambas as situações. A marcação homem a homem é facilitada por alguns comandos do analógico direito e chega a ser mais prazeroso do que um touchdown – algo que não é simples de fazer como nos filmes, visto que tal qual a vida real, o jogador precisa saber exatamente quando acertar cada movimento.

Todavia, é impossível não deixar de criticar a proposta segregacionista não só de ‘Madden 22’, mas de quase todos os games de esporte da publisher britânica, que mira em fidelizar o público expert e fiel e não em atrair novos jogadores. Futebol americano já não é uma modalidade simples por natureza, por conta das diversas regras e da popularidade nichada no Brasil, e o título dificulta ainda mais pela falta de um “modo tutorial” que se propõe a ensinar comandos básicos, além de ser 100% em inglês. Vacilo, hein, EA? Há entusiastas de NFL por aqui e que não são bilíngues.

Dê uma chance ao jogo, mas talvez não durante o lançamento

Touchdown pode aguardar: ‘Madden NFL 22’ não vale a pena no lançamento por conta do alto preço. Imagem: EA Sports/Divulgação

O descontentamento da comunidade em relação à franquia ‘Madden’ é válido em diversos pontos e deve refletir ainda mais em ‘NFL 22’. De qualquer forma, caso você se interesse por futebol americano – mesmo não sendo o “fã número 1” – talvez o novo jogo da NFL pode ser um bom local para começar. Mesmo não disposto a ensinar o básico, o título é prático em certos aspectos e diverte com estratégias e o clima intenso do esporte.

Contudo, se você não faz questão de se atualizar com jogadores novos, Ultimate Team ou estiver com aquele sentimento de “hm, agora não”, talvez seja melhor não adquirir o game “no início de temporada e esperar pelo Super Bowl”, visto que uma cópia não é nada barata…

Caso queira comprar ‘Madden NFL 22’, saiba que o jogo está disponível no PlayStation 5 (PS5) e Xbox Series X/S por R$ 339, no PlayStation 4 (PS4) e Xbox One por R$ 299 e no PC (via Steam e Google Stadia) por R$ 249. Para saber mais detalhes do novo título de futebol americano, confira o trailer (assista abaixo) e leia a sinopse oficial:

“Madden NFL 22 é onde as partidas acontecem. O que você adora na NFL em todos os modos de jogo com o NOVO Dynamic Gameday. Esteja preparando um confronto no Franchise, disputando duelos no Jogue Agora (Play Now) ou competindo online no Ultimate Team, o impacto do Dia de Jogo Dinâmico vai estar em todo lugar.”

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!