Nesta quarta-feira (18), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa a extensão do uso da CoronaVac em crianças a partir de 3 anos no Brasil. Outro ponto é a ampliação da autorização do uso emergencial para jovens de 3 a 17 anos.

Desta maneira, a Diretoria Colegiada considera a relação risco-benefício para a faixa etária. Ainda não há vacinas aprovadas no país para crianças abaixo de 12 anos. Só a da Pfizer é permitida para jovens de 12 a 17 anos.

publicidade

Além disso, o imunizante, da Sinovac Biotech com o Instituto Butantan, só pode ser aplicado em pessoas maiores de 18 anos. A CoronaVac utiliza a tecnologia de vírus inativado e é aplicada em duas doses, com intervalo de 28 dias.

Leia mais:

CoronaVac possui alta proteção contra variante Delta, diz estudo

A variante Delta está se tornando dominante no mundo, inclusive no Brasil, e um estudo preliminar feito na China indica que a vacina CoronaVac oferece uma alta taxa de proteção contra casos graves da doença causada pela Cepa. O Instituto Butantan já havia adiantado que o imunizante mostrou-se seguro em testes com a variante. A pesquisa foi feita pelo Centro de Controle de Prevenção de Doenças (CDC) chinês e pela Escola de Saúde Pública da província de Guangdong, na China.

Os resultados mostram que a CoronaVac possui uma proteção ente 69,5% a 77,7% contra casos sintomáticos da Covid-19 causados pela variante Delta. Fizeram parte do estudo 10.813 voluntários que tiveram casos positivos de Covid-19 ou contato próximo com alguém que teve. 54% dos participantes não eram vacinados, outros 38% tomaram uma dose e 14% estavam com o esquema vacinal completo. A CoronaVac foi a vacina mais aplicada. A variante Delta teve um surto na província onde a pesquisa ocorreu.

Para saber mais, acesse a reportagem completa no Olhar Digital.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!