Alguns dias após apresentar sua tecnologia de GPUs Intel Arc, a Intel apresentou várias novidades em seu evento Intel Architecture Day, com destaque para os seus novos processadores Alder Lake com tecnologia híbrida, ou Intel Core de 12a geração. Essa será a segunda geração de chips de 7 nanômetros da Intel, seguindo os passos da linha Intel Lakefield, apresentada no ano passado.

A nova linha de chips deve chegar até o fim do ano em desktops e dispositivos móveis e ultra móveis. O design híbrido envolve uma série de núcleos focados em desempenho (Core “Performance”), com outra série de núcleos focado em eficiência (Core “Efficient”). Se isso soa familiar, não é por acaso, a Intel está seguindo o exemplo vitorioso da ARM nos chips mobile. Os frutos disso? A Intel promete um ganho de desempenho de 80%, e também diz que essa é a maior mudança arquitetural em CPUs x86.

publicidade

Intel Thread Director organiza as tarefas no chip

Para que esses núcleos funcionem adequadamente no processador, a empresa criou o Intel Thread Director, que fica integrado ao chip, e permite que o sistema use o núcleo indicado no momento certo. No vídeo abaixo, a Intel apresenta a forma que o processador usa seus núcleos no chip Alder Lake.

P-core e E-core dos novos processadores Alder Lake da Intel / Montagem sobre imagens de divulgação

A Intel batizou esses núcleos de P-core (performance) e E-core, os primeiros baseados em uma arquitetura Golden Cove, e os outros, na arquitetura Gracemont. O P-core é indicado para tarefas single-thread, que usa o desempenho do principal núcleo, e o E-core, para multi-threads, que executam múltiplos threads em cada núcleo.

Alder Lake terá processador com até 16 núcleos

Como citamos, os processadores são moduláveis e escalonáveis, e a Intel criou diferentes configurações para desktop e móvel e até ultra-móvel.

Flexibilidade é um dos destaques da linha Alder Lake / Divulgação/Intel

A empresa não detalhou todas esses detalhes, mas mostrou como será o processador Alder Lake para desktops, com até 16 núcleos (metade de desempenho e a outra, de eficiência), com até 24 threads (2T por P-Core e 1T por E-Core) e até 30 MB de memória cache L3. O chip também terá suporte aos padrões de memória mais atuais, incluindo DDR5 e LPDDR5-5200, além de ser compatível com DDR4.

Leia mais

Raja M. Koduri, vice-presidente sênior e diretor-geral do Accelerated Computing Systems and Graphics Group da Intel falou sobre esse novo momento da empresa. Nas palavras dele: “talvez o ponto mais importante seja que todos os avanços apresentados hoje destacam as diferentes formas com que a arquitetura irá atender a demanda esmagadora por mais desempenho de computação, à medida que as cargas de trabalho do desktop para o centro de dados se tornam cada vez maiores, mais complexas e mais diversificadas”.

A expectativa é mesmo bem grande para a nova geração de chips da Intel. Há alguns meses, uma versão inicial do Alder Lake (Intel Core i9-12900K) com design híbrido chegou a deixar para trás o Ryzen 9 5950X da rival AMD em testes de benchmark.

Aposta em processadores Alder Lake com CPUs Intel Arc

Raja M. Koduri / Divulgação/Intel

No evento, a Intel deixou clara a sua estratégia, com seus novos chips Alder Lake com a arquitetura Xe-HPG, das novas GPUs Intel Arc que mostramos aqui outro dia. É bom ver a empresa fazendo esse movimento. Dinheiro em caixa para grandes apostas é algo que nunca faltou na Intel, mas faltava algo mais. A chegada do CEO Pat Gelsinger no começo desse ano foi fundamental para essa cara nova da empresa, e a nova estratégia demonstra isso.

Vamos acompanhar de perto os próximos passos dessa gigante da tecnologia. Quer saber mais sobre as novidades do Intel Architecture Day? Assista ao evento completo abaixo.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!