O TikTok está sendo acusado de permitir conteúdo com fake news sobre a Covid-19. O algoritmo da rede social estaria recomendando vídeos com desinformação sobre vacinas e sobre a pandemia, incluindo teorias da conspiração já desmentidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

As acusações são da ONG Media Matters e foram divulgadas em um relatório nessa semana. A entidade testou páginas de recomendação da plataforma e teve acesso a notícias falsas. Esse problema seria causado pelo fato do algoritmo priorizar o engajamento ao invés do conteúdo.

publicidade

“A plataforma falha consistentemente em lidar com os danos facilitados por seu próprio algoritmo. Apesar de todas as suas promessas de promover informações de alta qualidade durante a pandemia, a TikTok ainda permite que mentiras perigosas sobre o Covid-19 e as vacinas se espalhem em sua plataforma praticamente sem inibições”, diz o relatório.

TikTok com fake news sobre a Covid-19

Ainda segundo o documento, apesar das diretrizes do TikTok proibirem esse tipo de conteúdo, diversos vídeos contendo desinformação e fake news sobre a Covid-19 circulam. Isso ocorre principalmente na aba “para você”. Dessa forma, segundo a ONG, a rede social estaria criando bolhas onde os usuários ficam presos nas notícias falsas de fontes não confiáveis.

Tudo isso é intensificado pelo feed altamente personalizável da plataforma. A ONG diz que criou várias contas diferentes e clicou em vídeos sobre antivacina e com desinformação. O resultado disso é que o feed teria ficado lotado desse tipo de conteúdo. Processo que foi repetido diversas vezes.

Além disso, apesar de serem recentes, os vídeos muitas vezes espalham teorias da conspiração antigas, já desmentidas diversas vezes. A ONG diz ter encontrado nas recomendações vídeos sobre supostos campos de concentração para Covid-19, uma teoria do passado adaptada para a pandemia. Vários vídeos também falam sobre um suposto “interruptor” da morte, que seria acionado e mataria todas as pessoas vacinadas.

Notícias falsas no TikTok Imagem:Divulgação – Media Matters

As consequências desse tipo de conteúdo podem ser vistas em países como os Estados Unidos, onde apesar da enorme quantidade de doses de vacinas contra a Covid-19 disponíveis, uma parcela considerável da população se recusa a tomar o imunizante, o que atrapalha o combate à pandemia e aumenta o número de casos da doença.

“O TikTok aparentemente priorizou o envolvimento de conteúdo acima do bem-estar de seus usuários, permitindo a disseminação de informações imprecisas e mentiras perigosas sobre Covid-19-19 e vacinas em um momento em que a desinformação está criando consequências reais na forma de uma crise de saúde pública ainda maior”, finaliza o relatório.

Em resposta à ONG, o TikTok afirma estar “focado em apoiar nossos usuários, fornecendo informações e recursos precisos de funcionários de saúde pública”, e a empresa fez parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para fornecer “informações confiáveis” que “desmentem os mitos em torno da Covid-19”.

Leia também!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!