O designer francês Baptiste de Brugiere, da companhia automobilística checa Skoda, deu nova vida ao obscuro Skoda Ferat. Carinhosamente apelidado de “Vampiromóvel”.

Originalmente concebido em 1971 como um protótipo e conceito esportivo para o Skoda 110 Super Sport, o veículo acabou se transformando, quase 10 anos depois, na estrela de um filme de terror/ficção científica checo chamado O Vampiro de Ferat (Upír z Feratu), de 1982, ainda no período comunista.

publicidade

Daí – e também pelo design gótico – ter entrado para a história com a macabra alcunha. Brugiere ficou fascinado com o carro quando visitou o depósito do Museu Skoda há cerca de três anos.

Skoda Ferat original dos anos 80
Divulgação/Skoda

Então, ouviu sobre o projeto de repaginação de clássicos da Skoda Icons Get a Makeover e se ofereceu para criar uma interpretação moderna do Ferat.

A ideia encaixou como uma luva pelo fato da Skoda ser parceira da Comic Con 2021 de Praga. A edição do festival de quadrinhos e ficção científica vai ser realizada quase 40 anos após a estreia do Vampiro de Ferat nas telas dos cinemas.

parte traseira do conceito do Vampiro Móvel
Divulgação/Skoda

Brugiere afirma que tentou capturar a primeira impressão que o carro deixou nele com sua ideia de um “Vampiromóvel” do século 21. Assim, as proporções básicas, com a altura baixa do carro, o teto “pontudo” e a asa traseira gigante, foram importantes.

Imagem da frende do conceito do Vampiro Móvel
Divulgação/Skoda

As linhas laterais, que vão do para-choque dianteiro à traseira do Ferat original, foram o ponto inicial dos trabalhos, nos quais o designer diz que buscou equilibrá-las e torná-las modernas. Ao mesmo tempo, Brugiere tentou preservar o personagem motorizado clássico da empresa checa.

Como resultado, o Vampiro Móvel renascido trouxe uma aparência cinzelada para fazer referência ao Ferat e, ao mesmo tempo, se parecer com um supercarro Skoda do futuro.

Preto e vermelho cor de sangue

O designer Baptiste Brugiere segurando um mini modelo do Skoda Ferat ao lado de uma tela com desenhos do seu conceito do carro
Divulgação/Skoda

Com o carro original à sua frente, o designer trabalhou bastante no papel e só partiu para as renderizações no computador nas fases finais, especialmente na fase de colorir. Brugiere disse que a tradicional combinação de cores preta e vermelha era uma necessidade absoluta.

Com relação ao interior do carro, o original era acessado quando toda a seção dianteira da cabine se inclinava para cima. Entretanto, para o atual Vampiro Móvel, o designer diz que só poderemos dar uma olhada “se houver uma chance de levar o projeto adiante”.

O Vampiromóvel original

A tétrica criação provavelmente permanecerá como um exercício de design. Quanto ao clássico, você pode ver mais um pouco aqui:

O Skoda Super Sport das filmagens foi repintado de preto e uma poderosa asa foi adicionada na parte traseira. O motor OHV com uma capacidade de 1.107 cc era do modelo 110 L e desenvolvido com 55 kW (75 HP) a 6.250 rpm.

As dimensões do veículo eram de 4060 x 1640 x 1220 mm, pesando 898 kg. Sua velocidade máxima era de 180 km/h, com aceleração 0-100 km/h em 12,6 segundos. Nada impressionante hoje, mas falamos de um modelo defunto de outra era.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.