Durante o 36.º Simpósio Espacial, que está acontecendo desde o dia 23 e vai até esta quinta-feira (26) na cidade de Colorado Springs, nos EUA, a empresa japonesa ispace, com sede em Tóquio, anunciou seu módulo lunar robótico Série 2. 

Segundo o site Space.com, a espaçonave de 2,7 metros de altura, que pode transportar 500 kg de carga útil para a superfície lunar, está programada para estrear em 2024, na terceira missão lunar da ispace.

publicidade
Módulo lunar de 2,7 metros de altura, que pode transportar 500 kg de carga útil para a superfície lunar, está programado para estrear em 2024. Imagem: Ilustração ispace

“Ao olharmos para o futuro próximo, a Série 2 nos permitirá não apenas aumentar nossas capacidades, mas também fornecer maior acesso e oportunidades para nossos clientes”, disse o fundador e CEO da ispace, Takeshi Hakamada, em comunicado. “A Série 2 é um passo positivo para a concretização de um ecossistema cislunar diversificado e sustentável”.

Módulo lunar da ispace será lançado em um foguete Falcon 9 da SpaceX

Antes disso, a primeira missão lunar da ispace está programada para ser lançada no próximo ano em um foguete SpaceX Falcon 9. Nesse voo, um módulo de pouso da série 1 da ispace entregará à superfície lunar o rover Rashid dos Emirados Árabes Unidos, além de uma série de outras cargas úteis para uma variedade de clientes.

Segundo representantes da empresa, o módulo de pouso para essa missão está atualmente passando pela montagem final em uma instalação na Alemanha. A ispace tem como meta lançar sua segunda missão lunar, que também deve voar em um Falcon 9, no ano de 2023.

Em seguida, será a vez do módulo de Série 2, que a ispace planeja desenvolver em parceria com as empresas americanas de tecnologia General Atomics e Draper. O trabalho já está em andamento: ele passou por uma importante revisão preliminar em junho.

Leia mais:

A Série 2 “tem um design modular com vários compartimentos de carga útil, permitindo flexibilidade e otimização para uma gama mais ampla de clientes governamentais, comerciais e científicos”, informaram representantes da ispace. 

“Notavelmente, o módulo de Série 2 pretende ser uma das primeiras sondas comerciais capazes de sobreviver à noite lunar e foi projetada para ter a capacidade de pousar no lado próximo ou distante da lua, incluindo regiões polares”, acrescentaram.

Explorar regiões polares da Lua é importante para a Nasa 

As regiões polares são de grande interesse para a Nasa, que está trabalhando para estabelecer uma presença humana permanente e sustentável na Lua por meio de seu programa Artemis

Isso porque se acredita que o solo permanentemente sombreado de muitas crateras polares abrigue enormes quantidades de gelo de água, um recurso crucial para o desenvolvimento lunar.

A Nasa planeja enviar uma variedade de hardwares científicos e tecnológicos para a lua a bordo de uma espaçonave comercial robótica nos próximos anos para ajudar no ambicioso esforço de Artemis. E a ispace espera que a Série 2 seja uma opção atraente para a agência espacial.

“Nos próximos meses, trabalharemos em estreita colaboração com a Draper e a General Atomics para nos prepararmos para a próxima ordem de tarefa de Serviços de Carga Útil Lunar Comercial (CLPS) da NASA”, disse Kyle Acierno, CEO da ispace US, uma subsidiária com sede em Denver que a empresa estabeleceu no ano passado. “Com quase 30 membros da equipe [na ispace US], continuamos a crescer nos EUA e estamos focados em ampliar nossa colaboração com parceiros americanos”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!