Nesta quarta-feira (25), empresas de tecnologia estiveram reunidas com o presidente dos EUA, Joe Biden, entre elas representantes do Google e da Microsoft, para discutirem sobre segurança cibernética. As duas empresas, juntas, prometeram um investimento de US$30 bilhões no ramo para os próximos cinco anos.

Enquanto o Google anunciou o comprometimento de US$10 bilhões, a Microsoft prometeu os outros US$20 bilhões. 

publicidade

Em uma postagem no Twitter, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, afirmou que US$150 milhões desse dinheiro serão usados ​​para expandir a rede de treinamento da Microsoft e ajudar as agências governamentais dos EUA a atualizarem seus sistemas de segurança digital. 

Já a Casa Branca descreveu esse investimento específico da seguinte forma: “A Microsoft disponibilizará imediatamente US$150 milhões em serviços técnicos para ajudar os governos federal, estadual e local com a atualização da proteção de segurança e expandirá as parcerias com faculdades comunitárias e organizações sem fins lucrativos para treinamento em segurança cibernética”.

Por sua vez, o Google se concentrará em estender o modelo de segurança de confiança zero, protegendo a cadeia de suprimentos de software, criando segurança de código aberto e oferecendo mais oportunidades de treinamento aos americanos. A empresa disse que ajudará 100 mil americanos nos próximos três anos a obter Certificados de Carreira do Google nas áreas de segurança cibernética.

Leia mais:

Apple e Amazon também prometeram esforços pela segurança cibernética, sem citar investimentos financeiros 

Além do Google e da Microsoft, também estiveram presentes a Apple e a Amazon, na reunião com o presidente Biden para discutir ameaças cibernéticas, como o recente ataque SolarWinds, bem como definir estratégias de como os EUA podem defender melhor seus sistemas digitais. 

Foto do presidente americano, Joe Biden
Joe Biden se reuniu com empresas de tecnologia para tratar sobre segurança cibernética, nesta quarta-feira (25). Imagem: Devi Bones/Shutterstock

Além da infusão financeira do Google e da Microsoft, a Apple disse que estabelecerá novos e difundidos protocolos de cadeia de suprimentos em nome de uma segurança mais rígida, e a Amazon prometeu oferecer seu treinamento interno de segurança cibernética ao público sem nenhum custo. 

Outras organizações, incluindo IBM, Girls Who Code e Code.org, fizeram planos para expandir as defesas de segurança cibernética no governo, na sociedade e no setor.

Nenhuma dessas companhias mencionaram investimentos financeiros.

Com informações do Engadget.