O helicóptero Ingenuity, da Nasa, realizou seu 12º voo em 16 de agosto, e uma imagem tirada por ele mostra uma possível nova rota a ser transitada pelo rover Perseverance. O veículo de exploração terrestre está perambulando por Marte em busca de sinais de vida antiga, coletando e analisando amostras de solo — ainda que essa parte da missão precise de uns ajustes.

A imagem, que você vê abaixo, corresponde à parte mais ao sul da região conhecida como “Seítah”, dentro da Cratera Jezero, onde a Nasa afirma ter existido uma imensa bacia hidrográfica há centenas de milhões de anos. O Perseverance e o Ingenuity navegam pelas rotas mais simples em busca de sinais de que a região possa ter abrigado, também no passado, formas de vida extraterrestres.

publicidade

Leia também

Imagem tirada pelo Ingenuity detalha possível nova rota para o rover Perseverance
Possível rota de navegação do Perseverance pode trazer variedade geológica mais abrangente, economizando o tempo da Nasa e permitindo que o rover colete mais material do solo. Imagem: Nasa/JPL-Caltech/Divulgação

Segundo Ken Farley, cientista da Nasa envolvido na missão Perseverance, a imagem acima também tem alto valor histórico, já que, até então, as únicas fotos da área foram feitas pelos satélites localizados em órbita de Marte. Ter uma imagem produzida tão próximo à superfície faz com que o Ingenuity seja uma ferramenta essencial para ajudar o rover a encontrar novos caminhos de pesquisa.

“Do ponto de vista científico, as imagens de ‘Seítah do sul’ feitas pelo Ingenuity são as mais valiosas até hoje”, disse Farley. “E parte desse valor pode residir naquilo que elas não mostram. Camadas sedimentares em pedras não estão prontamente visíveis na foto, e podem haver áreas difíceis de serem acessadas pelo rover. Temos trabalho a fazer para que nossos times de ciência e controle do Perseverance possam responder aos novos dados”.

O Ingenuity sobrevoou a possível nova rota do Perseverance por quase três minutos — sua maior duração no ar até aqui —, fazendo 10 imagens a uma altura de mais ou menos 10 metros (m), entrando e saindo da área, de volta ao seu ponto original de partida. Diz a Nasa que esse foi seu voo mais complexo até agora.

“O que essas imagens podem estar dizendo é ‘talvez não precisemos dirigir até o oeste para obter a melhor variedade geológica dessa campanha científica”, disse Farley. “Se decidirmos viajar até o sul de Seítah, pode ser que tenhamos inteligência valiosa sobre aquilo que podemos encontrar. E se a decisão for a de ficar no ‘Cume de Artuby’, a atual posição do rover, então vamos economizar muito tempo. Todo mundo ganha”.

“Ganhar” é bem o que a Nasa sente precisar nesse instante: na última semana, o rover Perseverance foi da maior das expectativas à grande decepção, após ter perfurado o solo e extraído uma amostra que, infelizmente, veio a se desintegrar, deixando o tubo de coleta vazio.

Se a rota identificada pelo Ingenuity não tiver serventia, então a Nasa seguirá seu plano original: extrair todo tipo de pedra que conseguir, do caminho do rover até o delta da antiga bacia hidrográfica, e voltar para o caso de ter perdido alguma amostra.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!