O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta quarta-feira (25) o edital do leilão 5G, nova geração de internet móvel. O documento deve ser publicado em sete dias pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a previsão é de que o leilão ocorra ainda em outubro.

De acordo com a Agência Brasil, foram sete votos a favor da proposta contra um divergente, do ministro Aroldo Cedraz, que apontou problemas de cálculo do preço da aquisição dos direitos de exploração das faixas de frequência.

publicidade

A equipe técnica do TCU também apontou problemas no modelo do leilão, mas as mudanças não foram consideradas pelos ministros.

O intuito do governo é que até julho de 2022, todas as 27 capitais brasileiras tenham cobertura 5G. A proposta de leilão tem valor previsto de R$ 44 bilhões e tem foco no investimento e oferta da tecnologia a todos os municípios com mais de 600 pessoas.

As empresas vencedoras do leilão aptas para oferecer o serviço, terão, contudo, algumas obrigações de investimentos a cumprir.

Ilustração de tecnologia 5G
Com sete votos a favor, TCU aprova edital do leilão 5G. Imagem: ShutterBestStudio/Shutterstock

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, agradeceu ao ministro relator, Raimundo Carreiro, e a todos os ministros do TCU “por compreenderem a importância do 5G para o país, que agora amplia seu potencial competitivo no mundo”.

“Com isso poderemos, por exemplo, levar fibra óptica a escolas que seriam atendidas por satélite e aumentar ainda mais a velocidade daquelas que já possuem atendimento por rede terrestre”, ressaltou Faria. “Nós, do Ministério das Comunicações [MCTI], acataremos essa recomendação como uma determinação e implantaremos a política pública.”

O que o 5G tem de diferente?

A tecnologia 5G prevê a oferta de uma internet com baixa latência, o que deve acelerar a entrega das informações e, consequentemente, sua velocidade.

Com a otimização da velocidade, a ideia é que o 5G traga mais segurança e estabilidade, além da ampliação do alcance.

Assim, a expectativa é de que a tecnologia provoque uma revolução e evolução em diversos setores, como agronegócio, portos, educação, medicina e segurança pública, conforme analisou o ministro das Comunicações.

“Ele [o 5G] vai beneficiar toda a nossa cadeia produtiva, a nossa indústria, as nossas empresas. Tudo estará conectado, ganhando eficiência, diminuindo custos, vai ter uma economicidade muito grande”, disse Faria, em entrevista ao programa A Voz do Brasil.

O representante do governo, ainda, mensurou em números a diferença do 5G para o 4G, por exemplo, explicando que a velocidade de transmissão de dados. Com o 4G, essa transmissão é de, no máximo, 30 megabits, mas passará a ser de 1 gigabyte; e o tempo de latência (popularmente chamado de delay, ou tempo de atraso na resposta) cai de 2.3 segundos para 0,0008 segundos – praticamente zero.

“Teremos uma nova internet. Uma nova tecnologia”, disse ele.

Leia mais!

Além disso, as chamadas ‘Áreas de Sombras’ (que você pode entender mais sobre elas clicando aqui) também serão extintas.

O intuito é que a tecnologia alcance ainda mais o chamado ‘deserto digital’ no Brasil, e passe a abastecer municípios e pessoas que não têm internet – plano que será de cumprimento obrigatório às empresas vencedoras do leilão.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!