A série live action de ‘Cowboy Bebop’ ainda não estreou, porém, a Netflix já trabalha em derivados. De acordo com anúncio da plataforma de streaming nesta sexta-feira (27), expansões da franquia em livro, HQs e art book – através de uma parceria com a editora Titan Comics – estão a caminho.

A editora não apenas publicará uma nova minissérie de quadrinhos em quatro edições, mas também estão um romance prelúdio e um livro que explora a criação da produção, que irá adaptar o clássico e aclamado anime dirigido por Shinichiro Watanabe.

publicidade
COWBOY BEPOP (L to R) DANIELLA PINEDA as FAYE VALENTINE, JOHN CHO as SPIKE SPIEGEL and MUSTAFA SHAKIR as JET BLACK on the set of COWBOY BEPOP Cr. NICOLA DOVE/NETFLIX © 2021
‘Cowboy Bebop’ da Netflix vai ganhar derivados em livros e HQs. Imagem: NICOLA DOVE/NETFLIX © 2021

A primeira publicação derivada será o livro ‘A Syndicate Story: Red Planet Requiem‘ (‘Uma História do Sindicato: Réquiem para o Planeta Vermelho’, em tradução livre). Escrito por Sean Cummings, roteirista da produção, a história vai mostrar um jovem Spike Spiegel e Vicious, seu então amigo, se envolvendo com grupos criminosos. O lançamento está previsto para novembro, junto ao seriado.

O lançamento seguinte será a HQ ‘Cowboy Bebop: The Comic Series‘, que vai mostrar Spike, Faye e Jet caçando um criminoso que utiliza um amuleto da sorte. O quadrinho terá roteiro de Dan Watters (‘Lúcifer’) e arte de Lamar Mathurin (‘Gumbo’). A minissérie contará com quatro partes e começará a ser publicada em dezembro.

Fechando o anúncio de publicações, a Titan vai lançar em 2022 o art book ‘Cowboy Bebop: Making the Netflix Series’ (‘Fazendo a Série da Netflix’, em tradução livre). O livro especial vai compilar os bastidores dos quatro anos da produção com fotos e diversas artes conceituais.

Leia mais:

A tão esperada adaptação live action, que estreia 19 de novembro (veja as primeiras fotos) sofreu atrasos durante o curso da produção devido à lesão de Cho no set, que deixou a produção por cerca de nove meses. As filmagens de ‘Cowboy Bebop’ terminaram em março. Vale ressaltar que Watanabe atua como “consultor oficial” da série, enquanto a compositora original da animação, Yoko Kanno, retorna à frente do departamento musical da adaptação.

De acordo com a Netflix, ‘Cowboy Bebop’ tem como showrunner André Nemec, que também atua como produtor executivo ao lado de Jeff Pinkner, Josh Appelbaum e Scott Rosenberg da Midnight Radio, Marty Adelstein e Becky Clements do Tomorrow Studios, Makoto Asanuma, Shin Sasaki e Masayuki Ozaki da Sunrise Inc., Tim Coddington, Tetsu Fujimura, Michael Katleman, Matthew Weinberg e Christopher Yost.

Sobre (o marco cultural que é) ‘Cowboy Bebop’

O anime de 1998 é ambientado em um futuro relativamente distante – o ano de 2071, para ser preciso -, onde um grupo de caçadores de recompensa (referidos pelas autoridades como “Cowboys”) a bordo da espaçonave Bebop caçam criminosos intergalácticos e os capturam com vida para entregá-los às autoridades em troca de recompensa. Na produção, a Terra tornou-se praticamente inabitável, fazendo com que a humanidade colonizasse todos os planetas e corpos rochosos dentro do sistema solar.

Cowboy Bebop netflix
Cowboy Bebop: live action da Netflix terá compositora do anime. Imagem: Sunrise Studios/Divulgação

Considerada uma das mais influentes da história, a série japonesa foi – e ainda é – sucesso no mundo todo, e tem como marca registrado a mistura de ficção científica com o western, gênero popular do cinema estadunidense clássico, além da famosa trilha sonora de Yono e os debates a respeito de vários conceitos filosóficos.

Por tais razões, a animação original – que pode ser vista atualmente na plataforma Funimation – recebeu amplos elogios da crítica especializada, que teceu comentários bastante positivos sobre a qualidade de produção do desenho e sua trilha sonora. Hoje, ‘Cowboy Bebop’ é visto como um clássico cult para os fãs de animes e um marco cultura até os dias de hoje.

Sobre os personagens, John Cho dá vida a Spike Spiegel, o personagem principal da série. Ele é um caubói descolado e peça-chave do grupo que viaja o sistema solar caçando recompensas. Mustafa Shakir é Jet Black, um dos poucos bons e honestos policiais, mas que é traumatizado após uma chocante traição. Já Daniella Pineda interpreta Faye Valentine, uma impetuosa caçadora de recompensas femme fatale que sofreu amnésia após anos congelada.

Na produção da Netflix, além de Cho, Shakir e Pineda, o elenco também conta com Alex Hassell (“The Red Sea Diving Resort”; “Suburbicon: Bem-vindos ao Paraíso”), Elena Satine (“Strange Angel”), Geoff Stults (“Pequenos Incêndios por Toda Parte”, “12 Heróis”), Tamara Tunie (“Black Earth Rising”, “Dietland”), Mason Alexander Park (“Hedwig – Rock, Amor e Traição”), Rachel House (“Thor: Ragnarok”, “Soul”), Ann Truong (“Strikeback!”, “O Alvo 2”) e Hoa Xuanda (“Ronny Chieng: International Student”, “Top of the Lake”).

Fonte: Collider

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!