Os ataques contra jogadores cresceu significativamente durante a pandemia da Covid-19 por causa do aumento no tempo gasto em jogos online. O setor se tornou alvo de ataques hackers por causa das transações em dinheiro que acontecem dentro das plataformas. Por isso, é importante que os gamers busquem se proteger dentro dos jogos.

Em entrevista ao Olhar Digital News neste terça-feira (31), o professor Rafael da Silva Santos, coordenador do curso de Defesa Cibernética da Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP), destacou que não dá para considerar todos os games online como portas de entradas para criminosos.

publicidade

Leia mais:

“Quanto mais aplicativos instalados no computador ou no celular, mais podem estar vulneráveis, com diversas vulnerabilidades. É preciso pensar como o atacante vai pensar contra os jogadores: o que esta em alta, gerando dinheiro. Então, quanto mais jogos, mais portas de entrada para esses gamers serem atacados”, explicou o professor.

Com a possibilidade de comprar e revender itens dentro dos jogos, gerando dinheiro, os jogadores viraram alvos desses atacantes. De acordo com Silva Santos, as empresas que detém os jogos podem ser responsabilizadas em casos de ataques cibercriminosos. Por serem responsáveis pelo desenvolvimento dos games, tornando os títulos um serviço vendido mesmo em caso de jogos gratuitos, é preciso pensar produções seguras para os usuários.

Afinal, os gamers criam usuário e senha para acessar os jogos desejados. Um ponto importante é dar a possibilidade do uso de chaves no dia a dia da plataforma para que a diversão aconteça de maneira segura. Um dos modos de se proteger é justamente aproveitando todas as formas de defesa que a plataforma permitir.

Pesquisa revela que 59% das mulheres gamers escondem gênero durante o jogo para evitar assédio. Imagem: Shutterstock, Inc.
Com o aumento do tempo de jogo durante a pandemia da Covid-19, o número de ataques também subiu. Imagem: Shutterstock, Inc.

“Senhas fortes, com letras, números, caracteres especiais, acima de dez dígitos, múltiplos fatores autenticação. Usamos muito o duplo, um tolken, quando logar, pois ele pede um código para colocar”, listou o professor. Ele ainda acrescentou que no caso das negociações, é importante dar preferência ao uso dentro das próprias plataformas usando a dupla autenticação para validar a venda.

Outro detalhe é ficar atento aos ataques via phishing. Há cibercriminosos que se passam por um comprador usando a identidade da plataforma em e-mails falsos. A dica nesse caso é nunca clicar em links que cheguem por este tipo de comunicação ou até mesmo em servidores como o Discord.

Mas, caso o jogador acabe sendo vítima de um crime deste tipo, Rafael da Silva Santos destaca a necessidade de manter a calma. “Primeiro, tem que entrar em contato plataforma do game. Elas recebem o chamado e pedem validações para confirmar que você é dono da conta, como cartões de crédito, itens, senhas antigas. O primeiro contato deve ser feito para reaver a conta e itens se for possível”, concluiu o professor.

A entrevista completa com o professor Rafael da Silva Santos pode ser conferida no Olhar Digital News desta terça-feira (31):

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!