A palavra “mito” vem sendo usada de uma maneira completamente inapropriada no Brasil nos últimos anos. Além de ser “um fato considerado inexplicável ou inconcebível” (então, se a palavra estiver sendo usada neste contexto, ok), mito é uma história fantástica, cujos protagonistas são deuses, semideuses e heróis.

E é isso que os jogadores poderão esperar do DLC ‘Mythos’, para ‘A Total War Saga: Troy’. A franquia, que sempre foi conhecida pelo rigor histórico, flertou com a mitologia no jogo lançado no ano passado, e agora está pronta para mergulhar de cabeça no universo dos deuses do Olimpo e suas rivalidades.

publicidade

E tudo isso incorporado ao sistema de jogo de ‘Total War’ que todos conhecemos e amamos. Muito da dinâmica de ‘Mythos’ a Creative Assembly tirou de ‘Total War: Warhammer’, sua franquia mais voltada ao fantástico. É como quando a série ‘Age of Empires’ lançou o ‘Age of Mythologies’, trazendo as unidades mitológicas e deuses às mecânicas do jogo.

O importante é que como é um DLC de ‘Troy’, em ‘Mythos’ a Guerra de Tróia finalmente ganhará os contornos que estamos familiarizados através da ‘Ilíada’, de Homero. Personagens como Aquiles, Agamenon, Heitor e Enéias são mais do que líderes ou generais, agora são heróis míticos, praticamente com superpoderes. Batalhas e campanhas podem ganhar bônus ao serem apoiadas por uma divindade. Por meio de expedições, os jogadores ainda poderão encontrar, enfrentar e domar três feras lendárias: Cérbero, o cão de Hades que guarda o submundo; o Grifo, a criatura lendária metade águia e metade leão; e a Hidra, a (quase) invencível serpente de nove cabeças.

Em ‘Mythos’, o jogador tem três opções de campanha. Em “Histórico”, a experiência é mais próxima ao ‘Total War’ tradicional – não tem nada de mítico, os heróis são generais acompanhados de guarda-costas, todas as unidades são realistas e rezar aos deuses gera um efeito motivacional passivo. “Mitológico” é o modo totalmente fantástico, com os deuses participando ativamente da trama, heróis poderosos e criaturas míticas como centauros, harpias e górgonas como unidades.

A TOTAL WAR SAGA: TROY
Ciclopes podem ser um diferencial nas batalhas de ‘Mythos’. Imagem: Creative Assembly/Divulgação

O modo “A Verdade Por Trás do Mito” é um meio termo interessante. Os heróis constroem sua fama através das suas proezas – e ganham bônus por isso. Deuses concedem apoio passivo e acesso a algumas unidades exclusivas e os seres mitológicos são interpretações das lendas. O Minotauro, por exemplo, é um guerreiro feroz que usa uma cabeça de touro como capacete. Tanto aqui quanto em “Mítico”, vale a dinâmica de equilíbrio entre unidades, com um tipo sendo mais eficaz contra outro, ou se valendo das vantagens do terreno. Centauros não são diferentes de unidades comuns de cavalaria, e as harpias, mesmo voando, são particularmente suscetíveis a danos de projéteis.  

Poucos (ou talvez nenhum) DLC já lançado para a série ‘Total War’ trouxe tantas mudanças quanto ‘Mythos’. Não é só uma questão de novas facções ou unidades – o clima do jogo muda. O próprio mapa se tornou mais dinâmico, com colossos de bronze animados e gigantes por trás das montanhas. Os três monstros míticos disponíveis, a Hidra Lerneana, o Patriarca do Grifo e Cerberus, possuem seus próprios conjuntos de unidades associadas, edifícios, habilidades especiais em batalha.

Recrutar essas criaturas é uma missão em si, à parte da campanha principal, que envolve rastrear, combater e domar as bestas mitológicas. A “Expedição Mítica” lembra a corrida pelas armas nucleares em jogos tipo ‘Civilization’: só pode ser tentada uma vez por campanha e seus adversários estão na mesma empreitada. Como parte da jornada, seu exército fica “preso” na missão e não pode ajudar na tomada ou defesa de territórios. Os heróis ainda são apresentados a cinco dilemas que precisam ser resolvidos antes da batalha final. É um clima que lembra muito aventuras clássicas do cinema como ‘Fúria de Titãs’ e ‘Jasão e o Velo de Ouro’.

A TOTAL WAR SAGA: TROY
O mapa de ‘A Total War: Troy’ está mais bonito com o DLC ‘Mythos’. Imagem: Creative Assembly/Divulgação

Leia também:

‘Mythos’ também traz mudanças no sistema de linhas de abastecimento e de administração da facção em todos os três modos – alterações que valem, inclusive, para quem não comprar o DLC de ‘A Total War Saga: Troy’. Elas envolvem um novo recurso de carga administrativa para heróis, unidades e assentamentos. Quanto maior o nível, mais carga de administração eles “custam”. Acumular muito desse recurso terá efeitos negativos sobre a facção, mas ao mesmo tempo decretos reais e influência serão obtidos mais rapidamente.

Por causa disso, custos de recrutamento e manutenção aumentam e são divididos por recursos – alimentos sobem primeiro, seguidos por bronze e ouro. Para quem é menos afeito ao gerenciamento das cidades e mais propenso ao combate, o próprio sistema de aconselhamento do jogo pode te guiar nas decisões do dia a dia.

O DLC ‘Mythos’ para ‘A Total War Saga: Troy’ será lançado nesta quinta-feira (2) e está disponível em pré-venda na Epic Games Store por R$79,99. O complemento e o jogo completo também estarão disponíveis na Steam a partir do dia do lançamento. A cópia usada para este review foi gentilmente cedida pela desenvolvedora.