Nesta quinta-feira (2), a China anunciou que, em vez de construir um novo foguete para as futuras missões tripuladas que planeja fazer à Lua, deve usar um veículo já existente.

De acordo com o projetista-chefe dos foguetes Long March, Long Lehao, é provável que a China atualize e aproveite foguetes Long March-5, relata o site Ars Technica. 

publicidade
Foguete Longa Marcha 5B lança o Tianhe-1, primeiro módulo da estação espacial chinesa Tiangong
China não deve construir um foguete específico para a missão tripulada à Lua. Em vez disso, aproveitará dois Long March-5.Imagem: CNSA

Isso porque o país quer que o pouso lunar aconteça em menos de uma década, e foguetes novos demandam um tempo maior, envolvendo fabricação e etapas de testes.

Dessa forma, a China pode ter uma vantagem sobre a Nasa na corrida espacial lunar, já que a agência americana ainda está testando seu foguete Sistema de Lançamento Espacial  (SLS, na sigla em inglês para Space Launch System), bem como a espaçonave Orion.

Leia mais:

Dois foguetes da linha Long March-5 devem ser utilizados na viagem da China à Lua

A decisão de adaptar um foguete existente em vez de desenvolver um inteiramente novo demonstra o quanto a China deseja acelerar seus já ambiciosos planos de exploração espacial.

Engenheiros chineses estão atualmente trabalhando em um foguete superpesado chamado Long March-9. Embora esse veículo possa realizar o trabalho de maneira viável, provavelmente não estará pronto para testes até 2030, quando a Nasa provavelmente já terá enviado astronautas à superfície lunar.

Por isso, a China provavelmente usará não apenas um, mas dois foguetes Long March- 5: um transportaria um módulo de pouso para a órbita lunar e o outro carregaria os astronautas, que precisariam ser transferidos para o módulo de pouso antes de descer e passar seis horas na superfície lunar.

Depois, o módulo de pouso os conduziria de volta a um dos foguetes para a viagem de retorno para casa. Por enquanto, o anúncio de Lehao ​​não foi apoiado pela política espacial oficial, mas a confirmação pode ocorrer em cerca de um mês, durante o Zhuhai Airshow, de acordo com o site The Byte.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!